Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3995-4325

ONS prevê forte recuperação dos reservatórios em janeiro

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) prevê uma recuperação significativa do nível de estoque dos reservatórios das hidrelétricas dos dois principais subsistemas do país, em termos de armazenamento: Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste.

Em relatório de operação da primeira semana do ano, o órgão prevê um aumento de quase dez pontos percentuais do nível de acumulação dos lagos das usinas do Sudeste/Centro-Oeste até o fim de janeiro. Para o mesmo período, o ONS estima um crescimento de 25 pontos percentuais do nível de estoque das usinas do Nordeste, que iniciou dezembro em situação crítica.

De acordo com informações do operador, o estoque dos reservatórios das usinas do Sudeste/Centro-Oeste, que concentram 70% da capacidade de armazenamento do país, deve passar da marca atual de 43% para 52,7% ao fim do primeiro mês do ano. O volume é bem superior aos 37,5% observados em 31 de janeiro de 2013, no auge da crise dos reservatórios.

Com relação ao Nordeste, a expectativa do operador é que o volume de acumulação salte de 32,6% para 57,9% no fim deste mês – entre novembro e dezembro, ele já subiu 10 pontos. Em 31 de janeiro de 2013, os reservatórios da região estavam na cota de 32,9%.

Segundo dados disponibilizados pelo ONS, o crescimento expressivo de armazenamento será possível devido a uma expectativa de volume de chuvas acima da média para o período. De acordo com o operador, a expectativa é que chova 20% acima da média histórica para o Nordeste em janeiro – o que configuraria o 22º melhor janeiro na série histórica de 83 anos.

O presidente da comercializadora de energia Comerc, Cristopher Vlavianos, explica que o aumento do volume de chuvas se deve a uma frente fria estacionada no norte de Minas Gerais, na altura da bacia do Rio Tocantins e na cabeceira da Bacia do Rio São Francisco. De fato, o volume de chuvas nas duas bacias superou a média histórica para dezembro, de acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE).

“Estamos acompanhando de perto essa evolução do nível dos reservatórios. Está chovendo bastante em razão de uma frente fria estacionada lá [no Nordeste] há uns 15 dias. A previsão para janeiro é de que essa frente fria se intensifique e aumente um pouco mais no Sudeste”, explicou o presidente da Comerc.

Os reservatórios das usinas hidrelétricas do Nordeste iniciaram a recuperação em meados de dezembro. O volume de estoque das usinas no início daquele mês era de 22,2% e fechou o ano com cerca de 33%.

De acordo com Vlavianos, entre os dias 21 e 27 de dezembro, o volume de chuvas no Nordeste foi de 198% da Média de Longo Termo (MLT). Na prática, isso quer dizer que o volume de precipitação na região foi quase o dobro do histórico para o período. Nessa medida, se as precipitações atingirem 100% da MLT, significa que choveu o previsto para o período. Nos dias 28 e 29 de dezembro, o volume de chuvas foi de 144% da Média de Longo Termo no Nordeste.

Segundo o presidente da Comerc, no Sudeste, o volume de chuvas entre 21 e 27 de dezembro foi de 108% da MLT. Nos dias 28 e 29 de dezembro, a chuva foi de 103% dessa média na região. Os reservatórios das hidrelétricas do Sudeste registraram alta de 1,4% do volume de estoque no acumulado de dezembro, fechando o ano em cerca de 43% de estoque.

A perspectiva positiva do volume de chuvas para esta semana foi sentida no preço de liquidação das diferenças (PLD) – o preço de curto prazo – que recuou 15% em relação à semana passada e está em R$ 242,92 por megawatt-hora (MWh).

Sobre a região Norte, o ONS prevê um nível de acumulação de 42,7% em 31 de janeiro, volume menor que os 51,1% apurados na mesma data do ano passado e um pouco menor que os 44,1% da marca atual.

Com relação à hidrelétrica de Tucuruí, principal usina do Norte em operação hoje, o ONS informou que o reservatório da usina atingiu a cota de 62 metros, o que permite um retorno pleno da operação da segunda fase da hidrelétrica. De acordo com o operador, o retorno está programado para esta quinta-feira. Segundo Vlavianos, da Comerc, nos dias 28 e 29 de dezembro, o volume de chuvas no Norte foi superior a 190% da Média de Longo Termo do período.

Em situação oposta a das demais regiões do país, que se encontram no período úmido, o Sul deverá registrar queda do volume de água nos reservatórios no fim de janeiro, recuando da marca atual de 58,2% para 54,8% de rmazenamento. O montante, porém, é superior à cota de 43,8%, em 31 de janeiro de 2013.

 
Fonte: Valor Econômico

Related Posts