Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3995-4325

Janeiro tem queda de 4,2% no consumo, segundo CCEE

Dados preliminares indicam uma redução de 4,2% no cosnumo de energia entre o último dia 1º/1 até o último dia 16/1, com relação ao mesmo período do ano passado, saindo de 62.911 MW médios para 60.278 MW médios. A geração acompanhou o ritmo e registrou queda de 3,3%, passando de 65.638 MW médios para 63.479 MW médios. De acordo com a CCEE, o principal fator que levou às retrações foi a queda nas temperaturas quando comparadas com o mesmo período de 2017, segundo o Boletim InfoMercado Semanal Dinâmico, da CCEE

No mercado regulado, o consumo caiu de 46.425 MW médios para 43.169 MW médios, uma queda de 7%, índice que incorpora a migração de consumidores para o mercado livre. Sem esse efeito na análise, a queda no consumo de energia seria de 5%.

Já no mercado livre, houve elevação de incremento de 3,8%, saindo de 16.485 MW médios para 17.110 MW médios, número que considera o impacto das novas cargas vindas do ambiente regulado. Ao desconsiderar esse movimento na análise, o ambiente lire teria retração de 1,6% no consumo.

Dentre os ramos da indústria avaliados pela CCEE, incluindo dados de autoprodutores, varejistas, consumidores livres e especiais, os setores de veículos (+8,8%), têxtil (+8,7%) e de extração de minerais metálicos (+3,4%) registram aumento no consumo, mesmo sem o impacto da migração na análise. Neste mesmo cenário sem migração, os maiores índices de retração pertencem aos segmentos de comércio (-10,9%), transporte (-9,2%) e de serviços (-7,2%).

O estudo da CCEE também apresenta estimativa da produção das usinas hidrelétricas integrantes do mecanismo de realocação de energia, em janeiro, equivalente a 108,6% de suas garantias físicas, ou 50.281 MW médios em energia elétrica. Para fins de repactuação do risco hidrológico, o percentual é de 92,2%.

 

Fonte: Brasil Energia Online

Related Posts