Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3995-4325

SCGÁS: Balneário Camboriú ganha rede de gás natural

SCGÁS começa a distribuição em condomínios em agosto deste ano

Depois da implantação de redes de Gás Natural Canalizado em seis cidades do estado, a SCGÁS (Companhia de Gás de Santa Catarina) traz uma inovação para o mercado. No ano passado, a Companhia colocou em prática uma nova forma de distribuição de gás para condomínios e comércio em geral. Trata-se do sistema instalado nas calçadas em vez do tradicional modelo praticado nas ruas (pistas de rolamento). “O processo é mais simples, mais rápido e tem menos interferência na mobilidade urbana durante a obra, além de trazer maior segurança”, explica André Zapelini, gerente de Mercado Urbano e Veicular.

Para tanto, em setembro de 2017, foi instalado um Projeto Piloto em Balneário Camboriú que envolveu uma quadra entre as ruas 2850 e 2870. As obras terminaram em novembro e, a partir de agosto deste ano, quatro condomínios serão beneficiados. Como prática da empresa, a ligação do condomínio será gratuita. “O diferencial promocional, desta vez, será a conversão gratuita dos quatro primeiros condomínios que aderiram ao gás natural do Projeto Piloto”, diz Adriana da Silva Ramos, analista de Mercado.

A estação para receber o gás canalizado é pequena, ao contrário dos espaços utilizados para abrigar os cilindros de GLP (Crédito na foto: SCGÁS| Celso Peixoto)

Segundo André, a aceitação dos moradores foi muito boa e serviu como aprendizado para a Companhia. Desse modo, a SCGÁS – que já tem rede na Terceira Avenida e Avenida dos Estados – vai ampliar as obras em Balneário Camboriú no próximo mês de setembro. “Vamos começar a implantar a rede na Barra Sul, a partir da Terceira Avenida. Ao todo, serão mais de quatro mil metros de rede de gás natural no local”, destaca André, lembrando que os condomínios em construção terão acesso à rede a partir do segundo semestre de 2019. Já para os prédios antigos, a conversão interna de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) para o gás natural canalizado fica a cargo do condomínio.

Quanto ao sistema, será de maneira mista, ou seja, tanto na calçada como na rua. “Em locais de tráfego intenso, a implantação será realizada na calçada”, adianta Adriana Ramos.

Mais economia

Síndico do Condomínio Brava Beach Reserva Aroeira, Mário Cândido Júnior só tem elogios à utilização do gás natural residencial. Há três anos em uso no prédio – já instalado durante a construção – o gás só trouxe vantagens para os moradores. Ele cita, como exemplo, o preço – em torno de 60% mais em conta do que o GLP, além de outros benefícios. Por ser mais leve que o ar, ele se dissipa facilmente na atmosfera quando existe vazamento. “O GLP, mais pesado, fica acumulado no ambiente e aumenta o risco de explosões”, aponta o síndico.

Para ele, a questão ambiental, de segurança e de espaço físico também colaboram na hora de decidir pela fonte alternativa de energia. “A estação para receber o gás canalizado é de pequeno tamanho, ao contrário dos ambientes utilizados para abrigar os cilindros de GLP. Também se deve prever o espaço de estacionamento que o caminhão deverá ocupar para deixar os botijões. Sem falar no risco de incêndio”, completa Mário.

Localizado na Praia Brava, em Itajaí, o condomínio possui três torres, de 13 andares cada, com 152 unidades. Hoje, residem 160 moradores fixos e 30 que ocupam os apartamentos em finais de semana.

Vantagens de adesão ao gás natural comparado ao GLP:

  • O valor a ser pago pelo consumo é muito competitivo
  • A tarifa do gás natural é igual em todo o estado de Santa Catarina para todos os condomínios, pois é regulado por órgão fiscalizador (ARESC) pelo fato de a SCGÁS ser uma concessionária estadual
  • O valor pago é totalmente referente ao gás já consumido, como é feito com a água e a energia elétrica, não havendo obrigação de pagar antecipado pelo GLP devido à necessidade de estocá-lo em botijões
  • O gás natural é fornecido através de tubulação apropriada, como a água, e, portanto, abre-se a válvula e o gás já se encontra disponível para o condomínio. Sendo assim, elimina-se também a obrigatoriedade de administrar o agendamento, recebimento e entrega do gás através de caminhões e enchimento dos botijões. Além disso, o caminhão do GLP parado em frente ao condomínio dificulta a passagem de veículos e pedestres pela rua.

 

Fonte: Condomínio SC

Related Posts