Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3970-1001/3970-1008

Petróleo fecha em queda, devolvendo parte dos ganhos da véspera

Os contratos futuros de petróleo terminaram a quinta-feira (11) em queda, revertendo a alta registrada no início da sessão, quando preocupações relacionadas à tempestade tropical Barry impulsionaram os preços. Hoje, o petróleo devolve parte dos ganhos expressivos registrados ontem, quando as referências tiveram avanços superiores a 4%.

Os contratos futuros do Brent para setembro encerraram esta quinta-feira em baixa de 0,73%, a US$ 66,52 o barril, na ICE, em Londres, enquanto os contratos do WTI para agosto fecharam a sessão com perdas de 0,38%, a US$ 60,20 o barril.

Segundo analistas, alguns investidores começam a ver a tempestade tropical Barry no Golfo do México como oportunidade de realizar lucros.

“Furacões simplesmente não são mais um motivador tão forte de compras como costumavam ser”, diz o RBC. Dados do governo dos EUA mostram que 53% da produção de petróleo dos EUA no Golfo do México foi cortada por motivos de segurança. No entanto, a RBC diz que “enquanto as manchetes dos furacões podem proporcionar um aumento mais rápido no curto prazo, a redução da demanda nas refinarias é provavelmente uma ameaça maior”.

Paralelamente, o relatório mensal da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep) manteve a previsão de demanda para 2019 e reduziu a de oferta, para 1,14 milhões de barris/dia e 2,05 milhões de barris/dia.

No entanto, segundo Barani Krishnan, analista sênior de commodities da Investing.com, o documento também aponta que “a produção em países fora do cartel, particularmente nos EUA, ainda é esmagadora para a Opep”.

Além disso, crescentes tensões entre o Irã e potências ocidentais reforçam o temor de investidores sobre a instabilidade geopolítica no Oriente Médio. Ontem, um navio de guerra britânico testou suas armas em três navios iranianos que tentaram impedir a passagem de um navio petroleiro com bandeira do Reino Unido para o Estreito de Ormuz, segundo o Ministério da Defesa britânico, em meio a tensões entre Washington e Teerã.

O evento ocorre após a apreensão das forças britânicas de um navio-tanque iraniano na costa de Gibraltar na semana passada, que o Irã considerou um ato de pirataria.

Os EUA e o Reino Unido acusaram a Guarda Revolucionária do Irã de realizar ataques aos navios que transportavam petróleo pelo Estreito de Ormuz nos últimos meses. O incidente de ontem marca a primeira vez desde o início das tensões entre os EUA e o Irã, no início deste ano, que um navio de guerra ocidental chegou perto do envolvimento militar com forças navais iranianas.

Fonte: Valor Online

Notícias relacionadas