Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

Compagas encerra 2021 com mais de 51 mil clientes e volume comercializado que ultrapassa a marca de 900 mil m³/dia de gás canalizado

No último mês, Companhia firmou contrato para garantir o suprimento no Estado e renovou suas intenções de continuar a busca por um suprimento mais competitivo aos seus consumidores

A Companhia Paranaense de Gás (COMPAGAS) encerra 2021 com o atendimento a mais de 51 mil clientes dos segmentos residencial, comercial, industrial e veicular. O total é 3% maior que o alcançado no ano passado e representa mais de 1,6 mil novos lares, indústrias e comércios paranaenses sendo atendidos com um combustível mais limpo, prático e seguro.

O volume de gás natural distribuído pela Companhia também é maior neste ano. Impactados pela retomada e reaquecimento da economia, após um ano de muitas incertezas provocadas pelo início da pandemia da covid-19, 2021 se mostrou mais promissor para a indústria paranaense e com isso, a Compagas registrou 11 novos contratos, nove novos clientes ligados à rede de distribuição e mais de 14% de alta no volume distribuído a este segmento específico. “Toda a utilização de gás natural para fins industriais responde por 90% do volume comercializado pela Companhia no Paraná e para atender esta classe que gera cada vez mais emprego e renda ao nosso Estado é que buscamos pela competitividade e pela segurança no fornecimento do gás canalizado”, destaca o diretor-presidente da Compagas, Rafael Lamastra Junior. No total, o volume comercializado pela COMPAGAS no ano supera a marca de 900 mil m³/dia de gás canalizado.

Neste mês de dezembro, após amplas negociações durante o processo de Chamada Pública Coordenada junto a potenciais supridores com as distribuidoras do Centro-Sul do país para contratação de suprimento, a Compagas firmou um novo contrato com a Petrobras para garantir o fornecimento de gás natural ao Paraná a partir de janeiro de 2022. Em volume, o novo contrato permitirá um fornecimento de cerca de 500 mil m³/dia para o próximo ano em complementação ao volume já anteriormente contratado com o supridor. Para os anos seguintes (2023 a 2025), o contrato foi negociado para que existam janelas de oportunidades para contratações futuras advindas de outros supridores. “Garantimos o suprimento de gás natural para o ano de 2022 e parte da demanda dos próximos anos. Por acreditar na abertura do mercado, decidimos manter a Chamada Pública em aberto e vamos continuar interagindo com os supridores na busca de oportunidades para diversificação dos nossos contratos de suprimento e de melhores condições comerciais de fornecimento de gás para melhor atender nossos mercados”, ressalta Lamastra.

Cabe destacar que mesmo após a seleção de diversos supridores para a etapa de negociação da Chamada Pública, a Petrobras foi o único supridor que neste momento apresentou viabilidade de fornecimento às distribuidoras. Além disso, foram diagnosticados diversos entraves regulatórios federais que ainda dificultam a abertura do mercado de gás, os quais estão sendo amplamente discutidos junto à órgãos e instituições relacionadas ao setor, com o objetivo de criar uma agenda positiva e com propostas de resoluções aos agentes.

Para desenvolver novas fontes de suprimento, durante o ano de 2021, a Compagas também passou a apoiar ações que estimulam a geração de uma energia mais sustentável, o biometano (quando submetido a um processo de purificação, o biogás dá origem ao biometano e este é comparável ao gás natural). Por meio de apoio e de parcerias que auxiliam nos estudos de viabilidade técnica e econômica para um melhor aproveitamento do combustível produzido no Paraná, a Companhia busca incentivar a produção e o uso da energia renovável, gerada a partir da decomposição de matéria-prima orgânica, localizada em aterros e na agroindústria, para abastecimento de veículos, indústrias e cooperativas.

“Acreditamos que o biometano pode ser utilizado para viabilizar o abastecimento de veículos leves e pesados e de indústrias em regiões que não podem ser atendidas com a rede de gás natural, abrindo caminhos para redes locais de atendimento”, diz o diretor-presidente da Compagas. “Há um potencial enorme no Estado e o biometano deve ser mais um combustível integrante da matriz energética do Paraná, contribuindo para o desenvolvimento socioambiental e econômico das cidades.  Nosso papel é difundir a cultura da geração e da possibilidade do uso de um combustível sustentável, tornando-o cada vez mais comercial e competitivo”, completa.

Projeto Corredor Azul e o caminho para a Sustentabilidade  – De olho na sustentabilidade, a Compagas desenvolveu ao longo do ano junto à outras distribuidoras do país o projeto Corredor Azul. A iniciativa busca implementar rotas estratégicas e infraestrutura de abastecimento de gás canalizado voltado ao transporte pesado e de cargas. Por meio do projeto, a Companhia quer ampliar o número de postos no Paraná que ofertam essa modalidade de combustível para caminhões, bem como o número de veículos pesados que utilizam o gás e ainda contribuir para a redução de emissões de poluentes.

Em Curitiba, um posto localizado na Cidade Industrial atendido pela Compagas, passou a abastecer diariamente caminhões movidos 100% a gás natural que percorrem a rota São Paulo – Curitiba para o transporte de mercadorias ligadas ao e-commerce. Cada caminhão tem a capacidade de abastecimento de 230 m³ de gás natural e este volume garante uma autonomia de mais de 400 quilômetros para o veículo – ou seja, ele consegue rodar da capital paranaense até o retorno à cidade paulista com o volume abastecido.

O uso do gás natural e do biometano em veículos pesados [caminhões e ônibus] contribui significativamente para a redução de emissão de carbono. Em relação ao diesel, estima-se que o gás natural reduza a emissão de CO2 em 23%, enquanto o biometano alcança uma redução próxima a 85%. O abastecimento com estes combustíveis também é vantajoso para a saúde pública, pois atuam para a diminuição da poluição local – quando comparados ao diesel, a redução de NOx é de 90% e de material particulados chega a 85%. Os efeitos são de curto prazo, com a colaboração para a redução de doenças cardiovasculares e para a perda de produtividade causada por esses poluentes.

Nesse sentido, para as empresas e governos que possuem metas de redução de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), substituir veículos movidos a diesel para veículos abastecidos com gás natural pode ser um grande aliado para cumprir com os planos de sustentabilidade traçados, indo ao encontro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU) e também com as metas definidas pelos países na última COP26.

Tecnologia para aprimorar operação da rede de gás  – No último ano, uma série de ações com o objetivo de melhorar os processos que envolvem a supervisão e o monitoramento da rede de distribuição de gás natural, a programação de consumo e o trabalho de medição e leitura foram desenvolvidas. Os projetos implantados estão vinculados a desafios pré-existentes e como resultado trouxeram ganhos econômicos, e principalmente, maior confiabilidade, agilidade e segurança no tratamento de dados e informações relacionadas ao consumidor e ao próprio faturamento da Companhia.

O Sistema Supervisório possibilitou uma visão global da rede de distribuição, visto que os equipamentos que fornecem os dados ao sistema estão implantados em pontos estratégicos e cobrem mais de 93% do volume total distribuído. O controle é distribuído aos usuários com acesso via smartphone o que facilitou a operação e deu ganhos de eficiência e agilidade para a equipe. Para a implantação do Sistema, a Compagas já investiu cerca de R$ 4,5 milhões, sendo que a instalação de todos os pontos mapeados foi finalizada no primeiro semestre de 2021.

A inteligência artificial também foi utilizada pela Companhia em 2021. O Morgen é um sistema que que prevê os volumes da Compagas ao captar o histórico de volume do city gate (período passado até o momento presente) e, com o uso de técnicas de machine learning constrói um modelo matemático capaz de fazer uma previsão do volume futuro para informar ao supridor, conforme condições contratuais. “Com a implantação do Morgen, que está integrado ao Sistema Supervisório, a Compagas conquistou uma maior visão da operação da sua rede, dos seus consumidores e ampliou a captação de dados em tempo real, o que contribuiu para uma maior assertividade na programação e uma economia de até 80% com as penalidades contratuais por erro de dados”, conta Rafael Rodrigo Longo, diretor técnico-comercial da Compagas.

Para o desenvolvimento de todas as atividades ao longo do ano, a Companhia contou com os conhecimentos técnicos de sua equipe e de empresas contratadas, sempre respeitando e seguindo os princípios de governança, transparência e integridade.

 

Fonte: Compagas / Comunicação

 

Related Posts