Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

PBGÁS: Final de hackathons encerra III Seminário de Transformação Digital

 

No último dia do III Seminário de Transformação Digital foi marcado pela final de dois hackathons que aconteceram durante o evento. As equipes vencedoras receberam prêmios em dinheiro que chegaram a R$ 10 mil mais a incubação na Fundação Parque Tecnológico Horizontes de Inovação. O evento, realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Ensino Superior (Secties) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) aconteceu durante os últimos dias 21, 22 e 23 de fevereiro, no Intermares Hall, em Cabedelo. Foram promovidos dois hackathons: o de Transformação Digital, realizado pela Secties, que contou com a participação de 31 alunos, formando sete equipes, e o hackathon Soluções Digitais para a Cultura, promovido pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), com seis equipes, totalizando 30 participantes. Cada um deles propôs problemas, na qual os participantes criaram soluções inovadoras e que utilizem tecnologias como aplicativos web, mobile e hardware, entre outros. A premiação de R$ 10 mil foi dividida entre os dois hackathons, com R$ 5 mil em prêmios para cada. As equipes vencedoras receberam o prêmio de R$ 3 mil e uma incubação no Parque Tecnológico Horizontes de Inovação; o segundo lugar recebeu R$ 2 mil e uma incubação no Parque Tecnológico Horizontes de Inovação; e o terceiro lugar ganhou uma incubação no Parque Tecnológico Horizontes de Inovação.

Entre as principais discussões que marcaram o Seminário está o enfrentamento das fake news, segurança de informações, inteligência artificial, transformação digital na administração pública e as relações entre cultura e tecnologia. Cinco oficinas e seis minicursos, além do Espaço Mulher e Tecnologia e o Showcase também agitaram a programação.

O Seminário também contou com o patrocínio do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br); Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br); Fundação de Apoio à Pesquisa da Paraíba (Fapesq) e pelas empresas Huawei Technologies Co. Ltd.; Dahua Technology; PBGÁS – Companhia Paraibana de Gás; Sicredi e Minsait an Indra Company e a parceria da Secretaria de Estado da Cultura (Secult). O secretário de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Ensino Superior, Claudio Furtado, comentou que o grande legado do Seminário foi levar temas importantes e muitas vezes pouco discutidos para a população, promovendo inclusão social.

“O seminário atingiu o objetivo de mostrar as pessoas que o acompanharam uma discussão que às vezes não é dada a devida importância, que impactam o dia a dia de todos, a exemplo da fake news, deep fake, inteligência artificial, e a transformação digital de uma forma geral. Inclusive algo que ficou muito claro em algumas palestras é que você não pode não pensar na inclusão digital sem incluir a vertente da inclusão social, ou seja, as pessoas têm esse direito de estarem conectadas, assim como também têm direito a acesso à alimentação, à educação e à saúde”.

Os vencedores da hackathon de Transformação Digital, realizada pela Secties, foi a Demog. Eles são alunos dos cursos de Sistemas para Internet e Ciências da Computação pelo IFPB e desenvolveram o PBGÁSHab, um aplicativo com os serviços unificados que a empresa oferece para os seus clientes.

“A gente tem o apoio da Lena que é nossa assistente virtual. Então ela também consegue conversar com os clientes e oferecer os serviços mais fáceis para eles. No nosso ramo de serviço eles vão conseguir achar a segunda via de fatura, alguma emergência que tiverem, e eles também conseguem relatar vazamento de gás pelo aplicativo. Então a gente utilizou a inteligência artificial e uniu todos os rankings de serviços do PBGÁS no mesmo lugar”, comentou Samuel de Morais, representante da equipe. Ele comentou, ainda, que foram três dias intensos para desenvolver o projeto. “Foi muito trabalho por três dias, mas a gente vê a consequência agora que foi ficar em primeiro lugar”, completou. Além disso, o hackathon também premiou a equipe Método Ágil, que ficou na segunda colocação; e a Brainstorm, a terceira colocada.

Já na hackathon Soluções Digitais para a Cultura, promovida pela Secult, os vencedores foram os integrantes da equipe Thundercats.  Eles desenvolveram um projeto que tem o objetivo de revolucionar a forma como o Governo recebe cadastros de cidadãos comuns e empresas. “Nós promovemos uma interface mais simples para o usuário básico de internet podem usar tranquilamente e otimizando algumas questões de envio de cadastro como a coleta desses dados e a separação de dados específicos para facilitar o trabalho dos gestores”, disse o representante da equipe, Matheus Cardoso, estudante de Análises de Desenvolvimento de Sistemas. Além disso, o hackathon da cultura também premiou a equipe ArtePB, que ficou na segunda colocação; e a Loop Infinito, a terceira colocada. No fim do evento aconteceram sorteios com prêmios a exemplo de viagens, uma televisão, fones de ouvido sem fio e relógios inteligentes.

Fonte: PBGÁS / Comunicação

Related Posts