Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3970-1001/3970-1008

Petróleo atinge maior nível em quase 6 meses com caso EUA-Irã

O petróleo é o destaque da sessão de segunda-feira (22), com ambos os benchmarks da commodity fechando em novas máximas desde outubro do ano passado, depois que o governo de Donald Trump disse que não vai renovar as isenções para China, Índia e outras grandes economias que compraram petróleo iraniano.

O contrato do petróleo WTI para maio fechou em alta de 2,65%, a US$ 65,70 o barril na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex), enquanto o Brent para junho avançou 2,87%, a US$ 74,04 por barril na ICE, em Londres. Maisceedo, perto das 14h20, o contrato do Brent para junho avançava 3,17%, saindo a US$ 74,25. Em Nova York, o WTI com entrega em maio subia 2,89%, cotado a US$ 65,85.

De acordo com o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, as isenções dadas a países como a China, Índia e Turquia serão canceladas no dia 2 de maio, como parte dos esforços da administração do presidente americano para levar as exportações iranianas de petróleo a zero.

Surpresa

O movimento pegou importadores da commodity de surpresa, depois que o Departamento de Estado americano disse, nas últimas semanas, que as isenções seriam renovadas.

O Irã, por sua vez, ameaçou retaliar fechando o Estreito de Ormuz, por onde passa um quinto de todo o petróleo comercializado no mundo.

Após o anúncio americano, a Arábia Saudita, maior exportador de petróleo do mundo, rejeitou uma elevação imediata da produção para compensar os desequilíbrios de oferta que a decisão americana pode causar.

“Nas próximas semanas, o reino consultará outros países produtores e nações consumidoras chave para garantir um mercado de petróleo equilibrado e estável”, disse o ministro de Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falih.

A forte alta dos preços do petróleo impulsionou as ações de energia em Nova York. O setor é um de apenas três setores em alta no S&P 500 e o único sustentando ganhos expressivos na sessão desta segunda, de 1,92%. No índice de blue chips Dow Jones, as ações da Exxon Mobil lideravam os ganhos com alta de 2,43%, enquanto as da Chevron avançavam 1,61%.

 

Fonte: Valor Online

Notícias relacionadas