Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3995-4325

Preço de combustíveis começou a ceder nas últimas semanas

Pouco sensíveis à desvalorização do petróleo ao longo do ano, os preços dos combustíveis começaram a ceder nos postos, nas últimas semanas, ainda que numa intensidade menor do que os cortes da Petrobras nas refinarias. A curva de queda dos preços, na bomba, se acentuou principalmente desde a última semana.

De acordo com o levantamento da Triad Research, empresa de pesquisa de mercado, o litro do diesel S10 caiu para menos de R$ 3,7 pela primeira vez no ano, nos últimos dias. Na quarta-feira (18), o produto era vendido, em média no Brasil, a R$ 3,655 o litro, valor 6,15% menor do que o preço do início do mês e 3,8% abaixo do valor praticado no último dia 12, antes de a Petrobras cortar em 6,5% o preço do combustível nas refinarias.

A média do preço do S10 nos últimos sete dias é de R$ 3,708 o litro, o que representa uma redução de 3,9% ante o período de sete dias imediatamente anterior. O levantamento ainda não capta os efeitos do corte mais recente dos preços da Petrobras, de 7,5%, válido a partir desta quinta (19) nas refinarias.

Já no caso da gasolina, o combustível tem caído também nos postos, mas num ritmo menor do que o diesel. Segundo a Triad, o litro da gasolina era vendido ontem a R$ 4,476, valor 3,8% mais baixo do que o do início do mês e 2,8% menor do que a média praticada no último dia 12, antes de a Petrobras cortar em 9,5% o preço do combustível nas refinarias.

A média do preço da gasolina nos últimos sete dias é de R$ 4,534 o litro, 2,07% mais baixo do que o valor referente ao período de sete dias imediatamente anterior.

Pelos dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), ainda não é possível perceber uma redução mais acentuada. O levantamento do órgão regulador é semanal. Na última semana (8 a 14 de março), houve uma queda de 1,1% no preço do diesel e de 1,4%, em relação à semana anterior (1º a 7 de março).

A Petrobras tem reduzido sistematicamente os seus preços ao longo do ano. Esse movimento foi acentuado nas últimas semanas, com o agravamento de medidas de isolamento social como estratégia de contenção da pandemia do novo coronavírus, ao mesmo tempo em que Arábia Saudita e Rússia travam uma disputa de preços no mercado internacional do petróleo.

No ano, até ontem, a estatal já acumula uma redução de 30,1% nos preços da gasolina e de 29,1% no diesel, ante uma desvalorização de 59% do Brent em 2020.

 

Fonte: Valor Online

Related Posts