Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3970-1001/3970-1008

Consumo de gás natural encerra o semestre com alta de 2,3%

A recuperação foi puxada pelo segmento residencial, destaque do mês de junho, com crescimento de 18,5%. Setor comercial também apresenta crescimento, 11,3%, comparado a maio.

De acordo com levantamento estatístico da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (ABEGÁS), o consumo de gás natural aumentou 2,3% no primeiro semestre de 2015, na comparação com igual período do ano anterior. Apesar dos déficits registrados nos quarto e quinto meses do ano, o setor recuperou-se em junho, com crescimento de 1,5%.

Puxado pelo consumo nas regiões Sul e Sudeste, o segmento residencial teve alta de 18,5% na comparação entre junho e maio de 2015, devido à sazonalidade do período de férias em que as famílias reduziram as viagens em função do momento econômico no país, e 0,9% em relação ao primeiro semestre de 2014. Outro destaque foi o setor comercial, que cresceu 11,3% comparado a maio; e 3,3% em relação aos seis primeiros meses do ano anterior. “Os bons resultados refletem o investimento contínuo das concessionárias na expansão das redes de distribuição”, destaca Augusto Salomon, presidente-executivo da ABEGÁS.

A cogeração a gás registrou aumento de 11% em relação ao mês anterior e retração de 7,9% no semestre. Já a geração elétrica teve alta de 9,6% no primeiro semestre do ano e queda de 1,1%, na comparação entre os meses de junho e maio, reflexo da redução da demanda por energia elétrica no país.

A desaceleração da atividade industrial segue impactando o segmento. Na comparação com o mês anterior houve retração de 1,8%, já em relação aos seis meses iniciais de 2014, o resultado manteve-se praticamente estável (-0,07%).

O segmento automotivo foi único que teve variação negativa nas suas avaliações,    de -0,04% em relação ao mês anterior e -2,9% na comparação com o primeiro semestre de 2014.  “O GNV é o combustível mais econômico do país, onde o consumidor tem o menor custo por quilômetro percorrido, em média R$ 0,17. Com a redução da alíquota do Imposto de Importação para os kits de conversão de veículos para GNV, que entrou em vigor no final julho, acreditamos que o setor volte a crescer no próximo semestre”, ressalta Salomon.

No total, foram consumidos 79,1 milhões de metros cúbicos por dia. A região Sudeste continua concentrando o maior consumo de gás natural do país, com volume médio diário de 50,3 milhões de metros cúbicos. Em seguida vem o Nordeste, com 13,4 milhões de metros cúbicos. As regiões Sul, Norte e Centro-Oeste consumiram 7 milhões de m³/dia, 3,8 milhões de m³/dia e 2,9 milhões de m³/dia, respectivamente.

Fonte: Comunicação ABEGÁS

Notícias relacionadas