Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3970-1001/3970-1008

Indústria apresenta sinais de recuperação e consumo de gás natural no País cresce 5,6% em novembro

Consumo da indústria tem crescimento de 2,3% frente aos números de outubro; volume demandado pela geração elétrica registra alta de 18,3%

O consumo de gás natural no mês de novembro em todo o País foi de 68,72 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, um crescimento de 5,6% frente aos números do mês de outubro (65,07 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia). Na comparação com os dados de novembro de 2015, a queda foi de 7,9%.

O segmento industrial registrou crescimento de 2,3% em novembro frente aos números de outubro, enquanto o uso de gás natural em geração elétrica subiu 18,3%. Os dados integram levantamento estatístico da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), feito com concessionárias em 20 estados, reunindo dados na indústria e nos segmentos residencial, comercial e automotivo, entre outros.

“O consumo industrial dá sinais de recuperação em novembro, com destaque para a Região Sudeste, que registrou variação positiva de 5,8%. Esperamos uma recuperação gradual da demanda por gás natural, principalmente na indústria, que sofreu impacto direto da desaceleração econômica do País nos últimos anos”, afirma o presidente executivo da Abegás, Augusto Salomon.

“Nossa expectativa é que a adoção da agenda proposta pelo ministro Fernando Coelho Filho e sua equipe por meio do Programa Gás Para Crescer seja positiva e estimule o mercado de gás natural, com a proposição de políticas tributárias adequadas e justas para a cadeia de produção e também a regulamentação do acesso às infraestruturas essenciais como gasodutos de escoamento e terminais de regaseificação”, completa Salomon.

A Abegás está trabalhando em conjunto com o governo federal e também nos Estados para que, cada vez mais, o gás natural possa contribuir para a retomada do crescimento.

Resultados do mês de novembro por segmento

O consumo no segmento automotivo manteve a trajetória de crescimento, com ligeira alta de 0,8% em novembro, um sinal de que o GNV segue competitivo frente aos combustíveis líquidos. Na comparação com novembro de 2015, o crescimento é de 4,5%. Já no comparativo do acumulado em 11 meses, o consumo teve um avanço de 2,46%.

No mercado residencial, a retração em novembro foi de 20,9%, efeito sazonal da elevação das temperaturas, principalmente na região Sudeste, que reduz o consumo em aplicações com aquecimento de água, como chuveiro. Já na comparação com o novembro de 2015 e no acumulado do ano, o segmento continua apresentando crescimento expressivo 6,3% e 14,3%, respectivamente, reflexo dos investimentos das distribuidoras em expansão.

No segmento comercial, o recuo é de 6,7% em novembro. No acumulado do ano, o segmento registrou elevação de 4,6%, um sinal de que a economia e a praticidade do gás natural seguem atraindo mais empreendedores.

Na cogeração, o consumo caiu 13,8% em novembro. Já no acumulado do ano, o segmento registrou recuo médio de 4%.

Na geração elétrica, crescimento foi de 18,3% em novembro, enquanto no acumulado do ano a retração é de 42, %, efeito da desaceleração da economia e da redução de atividade na indústria nacional.

Destaques de consumo nas regiões em outubro ante setembro de 2016

Centro-Oeste – Crescimento de 9,2% em cogeração.

Nordeste – Crescimento de 6,2% no segmento comercial.

Norte – Crescimento de 7,5% no segmento comercial.

Sudeste – Avanço de 5,8% no segmento industrial.

Sul – Alta de 1,8% no consumo automotivo.

 

Fonte: Comunicação ABEGÁS

Notícias relacionadas