Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3970-1001/3970-1008

Economia no posto compensa gasto com conversão de carro para receber GNV

As filas para abastecer na última semana, reflexos da paralisação dos caminhoneiros, deixaram os motoristas com inveja de quem tinha veículo movido a gás natural veicular (GNV), distribuído aos postos por gasodutos.

A procura por oficinas de conversão de carros para esse combustível aumentou. “Antes dessa crise, recebíamos até dois veículos por dia. Nesta semana, foram de cinco a seis”, diz Cesar Jesus, instalador de uma oficina de conversão da zona leste de São Paulo.

Para saber se compensa instalar o kit gás, é preciso pesar prós e contras e fazer contas. A adaptação custa de R$ 3.000 a R$ 5.000, dependendo do tamanho do cilindro e do tipo de sistema instalado.

Com o novo combustível há uma pequena perda de potência e redução de desempenho do motor, estimada em 3% para os kits mais modernos. Na maioria dos carros, o cilindro de gás não cabe sob o chassi, o que exige a instalação da peça no porta-malas. Em hatches, o espaço de carga perde mais da metade de sua capacidade.

A burocracia também é grande. É preciso alterar a documentação junto ao Detran e submeter o veículo a inspeções anuais para a renovação do CSV (Certificado de Segurança Veicular).

Para quem opta pela conversão, a maior vantagem é a economia na hora de abastecer. “Eu gastava R$ 200 por semana com gasolina. Desde junho do ano passado, meu gasto semanal com GNV tem sido de R$ 60”, diz o taxista Edson Ferreira, 44, dono de um Honda Civic.

Segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo), o preço médio do gás natural em São Paulo é de R$ 2,73 por metro cúbico, bem abaixo dos mais de R$ 3 e R$ 4 por litro praticados recentemente para etanol e gasolina.

“A economia é de no mínimo 56% na comparação com a gasolina e o etanol”, afirma Ricardo Vallejo, gerente comercial da Comgás.

O motorista Eduardo da Silva dos Santos, 23, levou seu Chevrolet Cruze nesta semana para uma oficina especializada em conversão de GNV.

“A falta de gasolina foi atípica, mas o preço alto não vai mudar. Por isso, achei vantajoso investir no kit gás. Deixei o carro na oficina logo pela manhã e o busquei no dia seguinte. Paguei R$ 3.900”, diz ele, que espera recuperar o valor em seis meses.

Segundo Vallejo, um ano costuma ser o tempo máximo para o investimento na conversão retornar em forma de economia no abastecimento. “No caso de motoristas de aplicativo ou táxi, que costumam rodar 5.000 quilômetros por mês, o retorno se dá em três ou quatro meses. Já para pessoas que andam perto dos 70 km/dia vem em cerca de 12 meses.”

Para comparar os gastos com os diferentes tipos de combustível, deve-se avaliar o total que foi pago para encher o cilindro e dividir pela quilometragem rodada, obtendo o valor em reais por quilômetro, afirma Gerson Burin, coordenador técnico do Cesvi/Mapfre (Centro de Experimentação e Segurança Viária da Mapfre).

Essa conta, segundo a Comgás, aponta vantagem para o GNV. “O custo médio do quilômetro rodado com GNV, em São Paulo, é de R$ 0,17, contra R$ 0,41 da gasolina e R$ 0,38 do etanol”, diz Vallejo.

Para Burin, é importante se certificar de que a oficina escolhida para a instalação seja credenciada pelo Inmetro.

“Siga as recomendações do fabricante para evitar o surgimento de defeitos no sistema original do veículo. A má utilização pode causar danos na bomba de combustível e falhas no funcionamento do motor, entre outros problemas”, afirma.

Guia da instalação

Documentação A adaptação do veículo para GNV deve ser aprovada pelo Detran. O processo de solicitação costuma ser feito pelas oficinas. Após a instalação do kit gás, será necessária uma inspeção do automóvel. Se aprovado, o dono receberá o Certificado de Segurança Veicular (CSV) e o selo do Inmetro. Uma nova vistoria será necessária no Detran para, enfim, ser emitido um novo Certificado de Registro de Veículo (CRV) com a observação de modificação do tipo de combustível. A inspeção para emissão do CSV precisa ser feita uma vez por ano. O valor para emissão do CRV é de R$ 197,89

*Quem pode fazer* Qualquer veículo pode ser equipado com o kit GNV

Preço Varia de R$ 3.000 a R$ 5.000. O serviço é feito em até um dia e meio

*Onde converter* Veja relação de oficinas homologadas pelo Inmetro em bit.ly/2ozfXQS

*Garantia* A conversão para GNV faz com que o motorista perca a garantia de fábrica do veículo. Para o serviço de instalação, a garantia costuma ser de um ano

*Potência* Há perda de cerca de 3% potência nos carros com GNV

*Economia* De acordo com a Comgás, o custo médio do quilômetro rodado com GNV, em São Paulo, é de R$ 0,17, contra R$ 0,41 da gasolina e R$ 0,38 do etanol

*Manutenção* O peso do kit gás fará algumas peças do carro desgastarem mais rapidamente. Já a manutenção do kit deve seguir recomendações do fornecedor

*Uso de álcool ou gasolina* É aconselhável fazer o veículo funcionar com o seu combustível original ao menos cinco minutos ao dia, para evitar o ressecamento das mangueiras de combustível, formação de goma nos bicos injetores e para lubrificar a bomba de combustível

 

Fonte: Folha de S.Paulo

Notícias relacionadas