Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

Assinada a ordem de serviço para as obras de interligação da rede de distribuição de gás em Linhares

O governador Renato Casagrande assinou, nesta quarta (19), a ordem de serviço para as obras de interligação da rede de distribuição de gás ao gasoduto de transporte Cacimbas- Vitória, o que permitirá aumentar a segurança da operação e ampliar a oferta de gás natural em Linhares. A obra terá duração de um ano e terá investimentos de R$ 27,7 milhões por parte da ES Gás.

O empreendimento tem como objetivo interligar a rede de distribuição urbana do município com o ponto de recebimento de gás, localizado no gasoduto de transporte na região de Regência, eliminando o transporte rodoviário de GNC (gás natural comprimido) e as etapas de compressão e descompressão,  de forma a ampliar o volume ofertado ao município, para 360.000 m³/dia, ou seja, oito vezes superior ao atual.

Oferece, como benefícios ao município de Linhares, o aumento da oferta do gás natural, o que possibilita a atração de novos investimentos; maior segurança no processo e mitigação do risco de incidentes e desabastecimento; e melhoria da eficiência operacional.

“O gasoduto é fundamental. São 28 km e um investimento de quase R$ 28 milhões que vai ligar Regência a Bebedouro. A partir de agora o gás vai vir direto para Bebedouro e será injetado à rede que abastece as empresas e algumas áreas residenciais. O espaço de compressão do gás em Regência poderá beneficiar outros municípios que têm rede de gás local, mas que não tem gasoduto. Um investimento que vai fortalecer a economia de Linhares e de toda a região”, enaltece o governador Renato Casagrande.

“Este é um investimento que trará claramente mais eficiência e segurança para o distribuição de gás em Linhares, mas, mais que isso, representa desenvolvimento para toda esta região. As indústrias aqui instaladas serão abastecidas diretamente por esta nova ligação, o que facilita e barateia as operações dessas, tornando-as mais competitivas. Além das empresas já instaladas, ganhamos mais uma ferramenta importantíssima na prospecção ativa de investimentos para o Espírito Santo, realizada pela Secretaria de Inovação e Desenvolvimento sob o comando do nosso Governador Renato Casagrande. Essa obra representa uma importante entrega que agrega ainda mais valor ao solo capixaba, tanto no adensamento de cadeias produtivas já existentes, quanto na instalação de novas indústrias”, destacou o Secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann.

A obra consiste na construção de 28,4 km de gasoduto em tubo de aço carbono 6”, feito de forma predominante em área rural, isento de população em seu entorno, em uma faixa de servidão com 43 propriedades, que será executada pela empresa Uniforte Engenharia e Construtora, licitada para este fim. Será iniciada após a realização de todas as etapas requeridas, incluindo o estudo de análise de risco à população circunvizinha, que não indicou perigo à comunidade local, e licenciamento junto aos órgãos responsáveis.

O gasoduto ficará totalmente subterrâneo a uma profundidade aproximada de um metro do nível do solo e dois metros da pista. Por este gasoduto, serão abastecidos residências, indústrias, estabelecimentos comerciais e postos de combustíveis, hoje atendidos por meio de carretas de GNC por meio de cerca de 240 viagens mensais, em um percurso de 63 km, o que apresenta riscos de incidentes e desabastecimento, por conta do transporte rodoviário. O volume atual é de 40.000 m³/dia, capacidade que passará para 120 mil m³/dia após a construção do gasoduto, podendo chegar a 360 mil m³/dia, caso seja necessário.

Para o diretor-presidente da ES Gás, Heber Resende, “a obra atende a uma necessidade antiga de aperfeiçoar a operação de distribuição de gás em Linhares, e uma perspectiva futura da chegada de novos empreendimentos ao município, auxiliando Linhares a cumprir sua vocação industrial. Várias empresas se instalam onde há oferta de gás natural, pois este insumo é valioso em processos produtivos. É a primeira grande obra da ES Gás, prevista em seu plano de investimentos”, explica.

Já o diretor de Operações da Companhia, Walter F. Piazza Jr., destaca os ganhos operacionais e comerciais do empreendimento. “Trata-se de uma oportunidade de aumentarmos a eficiência na distribuição, pois o gasoduto elimina quaisquer riscos de acidentes e desabastecimento devido às intempéries naturais, oferecendo ao município, ainda, a oportunidade de aumentar o consumo desta fonte energética segura, econômica e cômoda, além de gerar emprego e renda tanto na fase da obra, considerando as contratações pela empresa licitada, como posteriormente, com a atração de empresas energo-intensivas à região”, diz.

Fonte: ES Gás / Comunicação

Related Posts