Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

Sergas se consolida como um dos principais vetores de desenvolvimento para Sergipe

Atuando como elo de captação para a instalação de indústrias em Sergipe, a Companhia de Gás de Sergipe S.A. (Sergas) vem fortalecendo a cadeia produtiva e colaborando para a implantação de grandes empresas. Agindo como vetor industrial, a companhia possibilita que órgãos governamentais estaduais prospectem empreendimentos, tendo o gás natural como atrativo.

O gás natural canalizado é uma matriz energética versátil, que pode servir tanto como combustível quanto como fonte de energia, tendo custos competitivos e menor potencial poluente. O gás é, também, um combustível de transição, que vem ocupando espaço nos polos industriais entre as maiores potências mundiais. Em Sergipe, a Sergas vem fortalecendo o segmento, sendo uma das maiores recolhedoras de impostos para o estado e atendendo as maiores indústrias.

Entre as grandes empresas atendidas pela Sergas está a Cerâmica Serra Azul, que investiu recentemente em uma nova linha de produção. A ceramista, que consumia cerca de 60 mil m³/ dia de gás, passou a consumir 85,4 mil m³/dia com a nova linha. O investimento girou em torno de R$60 milhões, representando a criação de cerca de 300 novos empregos.

Também do ramo ceramista, a Capri retomou em 2021 as atividades da sua antecessora, Escurial. Especializada na fabricação de revestimentos esmaltados, a empresa vinha paralisada desde 2018. A Capri passou a consumir cerca de 12 mil m³/dia de gás natural, apontando um víés de ampliação para 24 meses. Atualmente, a cerâmica gera cerca de 90 empregos diretos e 250 indiretos.

A Indústria Vidreira do Nordeste (IVN) é mais um destaque entre os clientes da Sergas. A empresa finalizou sua ampliação com mais uma linha de produção em outubro de 2020, passando de uma média de consumo de 33 mil m³/dia para 44,7 mil m³/dia de gás até o final de 2020. Em 2021, a IVN manteve sua média de consumo de gás em 45 mil m³/dia.

Especializada no ramo de bebidas, a Ambev aumentou sua produção a partir de agosto de 2021. A empresa passou de uma média de 14,9 mil m³/dia para 18,9 m³/dia até o final do ano passado. Em dezembro, a companhia investiu R$ 90 milhões na criação de uma linha de latas com capacidade de até 90 mil unidades/ hora. Com os investimentos, a Ambev prevê chegar a 12 mil empregos diretos, indiretos e induzidos gerados em todo o estado.

No segmento de fertilizantes, a Unigel Agro SE (antiga Fafen) iniciou suas operações a partir de maio de 2021, no município de Laranjeiras. Com capacidade de produção anual de 650 mil toneladas de ureia e 450 mil de amônia, a empresa gera cerca de 1,5 mil empregos diretos e indiretos. O Governo concedeu à empresa isenção do ICMS do gás natural, incluído no Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI). A Sergas assinou contrato de movimentação do gás adquirido pela Unigel, elevando esse grupo empresarial ao status de primeiro consumidor livre do estado.

Além das empresas citadas, também são enquadradas pelo PSDI e beneficiadas por isenções ou diferimentos fiscais diversas indústrias atendidas pela Sergas. Exemplos são o Grupo Maratá, a Companhia Industrial Têxtil, a Crown Embalagens Metálicas, a Cipa Nordeste Industrial de Produtos Alimentícios, a Sergipe Industrial Têxtil, a Indústria Alimentícia Mendonça e a Altenburg, entre outras. Juntas, essas empresas consomem em torno de 176 mil m³/dia, representando cerca de 65% do volume consumido anualmente pela Sergas.

Sergipe na nova era do gás

O diretor-presidente da Sergas, Valmor Barbosa, avalia que o futuro que se avizinha para Sergipe é o melhor possível para o setor, já que o estado deverá passar da condição de importador para exportador de gás. “Existe a expectativa de que o polo petrolífero de Carmópolis volte a funcionar ainda neste ano, e que a empresa que adquiriu os ativos e assumirá a exploração dessas reservas de petróleo e gás passe a vender sua produção para a Sergas, melhorando as condições econômicas no segmento”, lembra.

Valmor destaca, ainda, a atuação da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), à qual a Sergas é vinculada. “A Sedetec tem realizado um importantíssimo trabalho de captação de empresas para Sergipe, assim como incentivado a ampliação de unidades fabris já instaladas no estado”, pontua.

“A Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Agrese). Em 2019,.  a Agrese atualizou o regulamento de serviços públicos na distribuição do gás natural, além de promover públicas. Importante medida, que trouxe segurança jurídica para todos que participam no segmento. Na nova fase de desenvolvimento de negócios no ambiente do gás natural, vem apoiando a Sergas com orientações e interpretações da nova lei, assim como com decretos e instruções normativas para o setor. O intuito é que cada vez mais esse segmento possa crescer e deixar de ser uma promessa para virar uma grande realidade, o que com certeza irá ajudar no crescimento e desenvolvimento econômico de Sergipe”, acrescenta Valmor Barbosa.

O gestor salienta também as ações de ampliação que vem sendo adotadas pela Sergas. “Temos realizado obras em várias regiões na capital, como a implantação de gasodutos na Zona de Expansão, que deverá beneficiar vários condomínios da região, bem como posto de combustível e shopping center. Temos, ainda, obras de implantação da rede nos bairros Luzia e Industrial, que irão beneficiar diversas entidades hospitalares e condomínios, além de entidades filantrópicas. Também temos vários projetos de expansão para o avanço na interiorização do gás”, finaliza.

Fonte: Sergas / Comunicação

Related Posts