Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

Produção de petróleo, LGN e gás da Petrobras avança 1,4% no 1º trimestre

A produção de petróleo, gás e líquido de gás natural (LGN) da Petrobras no Brasil no primeiro trimestre de 2022 ficou em 2,75 milhões de boe/dia, aumento de 1,4% em relação a igual período no ano passado.

Do total, a produção de petróleo e LGN foi de 2,2 milhões denbarris/dia, crescimento de 1,6% na comparação anual. O volume representa aumento de 3,7% em relação ao quarto trimestre de 2021.

Já a produção de gás natural no primeiro trimestre foi de 526 mil boe/dia, aumento de 0,6%. Em relação ao trimestre imediatamente anterior, houve um aumento de 2,5%. De acordo com a companhia, o pré-sal foi responsável por 2,03 milhões de boe/dia da produção total da empresa nos três primeiros meses do ano, uma fatia de 72%, recorde trimestral.

As vendas de derivados da Petrobras no período somaram 1,7 milhão de barris por dia, aumento de 2% em relação a igual período em 2021. Na comparação com o quarto trimestre de 2021, o volume teve uma queda de 8%. De acordo com a companhia, a redução em relação ao trimestre anterior se deve à venda da Refinaria Landulpho Alves (Rlam), na Bahia, além da menor demanda atualmente por óleo combustível para geração termelétrica.

Ao todo, as vendas de diesel da Petrobras no primeiro trimestre de 2022 ficaram em 716 mil barris/dia, queda de 2,1% na comparação anual. O volume teve uma retração de 9,3% na comparação com o quarto trimestre de 2021. Já as vendas de gasolina ficaram em 402 mil barris/dia, crescimento de 17,3% na comparação anual. O total representa queda de 13,3% em relação ao trimestre imediatamente anterior. De acordo com a Petrobras, o volume foi o maior para um primeiro trimestre nos últimos cinco anos, devido ao ganho de participação da gasolina sobre o etanol hidratado no abastecimento dos veículos flex.

Um combustível que teve forte queda no trimestre foi o gás liquefeito de petróleo (GLP), o gás de cozinha. As vendas de 19 mil barris/dia no primeiro trimestre representaram redução de 11,9% na comparação anual. Por outro lado, o querosene de aviação (QAV) demonstrou recuperação, com as vendas de 97 mil barris/dia, aumento de 33,4% na comparação anual. Em relação ao quarto trimestre, o volume cresceu 5,6%. O crescimento se deve à continuidade da recuperação do mercado frente ao período mais crítico da pandemia de covid-19 no setor aéreo.

O fator de utilização total das refinarias da Petrobras no primeiro trimestre deste ano foi de 87%, aumento de 5 pontos percentuais em relação ao fator de 82% registrado em igual período no ano passado. O indicador considera o volume de carga de petróleo efetivamente processado e a capacidade máxima de operar das refinarias. De acordo com a estatal, o aumento em relação ao começo de 2021 está relacionado às paradas de produção programadas de unidades relevantes que ocorreram no ano passado. “A definição do nível de utilização é uma decisão técnica e econômica, que leva em conta a demanda dos clientes da Petrobras, as alternativas globais de suprimento e preços de petróleo e derivados, diferentes configurações e limites de operação e a necessidade de paradas de manutenção das unidades de refino, entre outros fatores. A Petrobras está produzindo o máximo possível dentro de condições seguras, sustentáveis e econômicas”, afirmou o diretor de refino e gás natural da Petrobras, Rodrigo Costa.

 

Fonte: Valor Online

Related Posts