Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

PepsiCo vai substituir combustíveis fósseis por biometano em fábricas e caminhões

A PepsiCo vai substituir o uso de combustíveis fósseis em suas fábricas e frota de caminhões por biometano a partir deste ano. O projeto começará pela maior planta fabril do grupo no Brasil, em Itu, interior de São Paulo, com previsão de início da operação em outubro de 2024.

Com a iniciativa, a companhia planeja neutralizar suas emissões na fabricação local de salgadinhos e contribuir com a redução de cerca de 44% no total de emissões de gases de efeito estufa (GEE) de suas fábricas em todo o Brasil até 2025 (escopos 1 e 2, linha de base 2015).

Em março de 2024, a fábrica de Itu receberá uma estação de abastecimento de biometano capaz de atender até 100% a demanda de gás para cozimento, fritadeiras, fornos e caldeiras de água da fábrica, totalizando aproximadamente 15 mil metros cúbicos por dia.

A estação foi desenvolvida pela Ultragaz, também responsável pela logística de abastecimento com biometano oriundo de aterros sanitários, como o de Caieiras (SP), um dos maiores do mundo.

De acordo com Alex Carreteiro, presidente da PepsiCo Brasil Alimentos, o projeto ajudará a cumprir a meta de reduzir em cerca de 75% as emissões de escopo 1 (operações) e 2 (consumo de energia) do grupo até 2030. Além disso, a companhia almeja atingir net zero globalmente até 2040.

Os planos incluem ainda levar o biometano para outras fábricas do estado de São Paulo até o fim de 2025, além de mais quatro fábricas de alimentos no Brasil até 2027. Com isso, a PepsiCo estima reduzir aproximadamente 67,5 mil toneladas de GEE ao ano, quantidade equivalente ao plantio de 472 mil árvores, até 2027.

Biometano na frota de caminhões

A estação de biometano de Itu também funcionará como um posto de abastecimento para 50 caminhões movidos a gás da frota própria da PepsiCo.

O projeto permitirá abastecer dois caminhões simultaneamente, em três turnos, com até 400 m³ de gás. Com a substituição do gás fóssil pelo biometano, a expectativa é reduzir cerca de 1,9 mil toneladas por ano das emissões de GEE na frota.

A PepsiCo conta com uma frota própria com mais de 4 mil veículos, dos quais mais de 160 são elétricos ou GNV, que operam em todas as regiões do país. A transição na frota começou em 2020, com os primeiros dez caminhões elétricos e outros 18 a GNV. Desde então, a empresa calcula que sua frota reduziu cerca de 900 mil quilos de CO2, o que corresponde ao plantio de cerca de 6 mil árvores.

Desde 2023, toda compra de caminhões novos da PepsiCo conta com 20% de veículos elétricos ou movidos a gás. Com essas medidas, o potencial de redução na emissão de CO2 da frota é estimado em 30% até 2030.

A PepsiCo também implementou em 2023 painéis de filmes fotovoltaicos orgânicos (Organic Photovoltaics – OPV) em 250 caminhões — uma tecnologia pioneira no país para frotas, para o carregamento da bateria de acessórios do veículo utilizando energia solar. Segundo a companhia, a iniciativa contribui para a redução de emissões em cerca de 7,8 toneladas de CO²/ano.

Fonte: Epbr

Related Posts