Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3995-4325

Gasmig: A hora da verdade

Em parceria com a Audi, Gasmig comprova os benefícios do uso do Gás Natural Veicular (GNV) em relação a economia de combustível

A Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) e a montadora alemã Audi realizaram uma parceria para comprovar os benefícios do uso do Gás Natural Veicular (GNV) em relação à gasolina e ao etanol. Para tal, foi realizado um rali de economia, com um Audi A5 g-tron, movido a GNV, e dois VW Voyage, um abastecido com gasolina e outro apenas com etanol.

Segundo o diretor comercial da Gasmig, Danilo de Siqueira Campos, dois testes foram realizados para comprovar a maior economia obtida com o GNV. “No primeiro, rodamos com os dois Voyages, com o mesmo peso do Audi. Fizemos um percurso urbano de 88 km, partindo da praça do Papa, em Belo Horizonte, passando por algumas regiões da capital. Em seguida, percorremos uma distância de 250 km, em que visitamos as cidades de Ouro Preto e de Mariana, para, em seguida, retornamos para o ponto de partida. O resultado foi que o GNV se

mostrou muito mais econômico do que os veículos movidos a combustíveis líquidos”, destaca.

Resultados. De acordo com o resultado dos testes realizados durante os percursos, o Voyage a gasolina teve um consumo de 11,5 km/L. O custo por quilômetro foi de R$ 0,377. Já o consumo do veículo movido a etanol foi de 8,5 km/L, com o custo de R$ 0,317. Já o Audi A5 g-tron, abastecido com GNV, se mostrou mais econômico e obteve uma média de 13,5 km/L, com um gasto de R$ 0,252 por quilômetro rodado.

Com motor 2.0, o grande diferencial do sedã de luxo da marca alemã é sair de fábrica com o sistema “flex” gasolina/GNV. São dois reservatórios de combustível: um tanque de 25 L de gasolina e quatro cilindros que armazenam até 19 kg de gás natural — volume estimado entre 21 e 22 m³.

Investimento. De acordo com Danilo de Siqueira Campos, a instalação do kit GNV, para pagamento à vista, custa R$ 4.500. Ele destaca que a economia em relação à despesa com combustível pode chegar até a 50% com o uso do gás natural.

Fonte: O Tempo / SuperMotor (MG)

Related Posts

Leave a reply

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.