Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3970-1001/3970-1008

Petróleo volta a subir, com investidores atentos ao acordo EUA-China

Os preços do petróleo fecharam em alta na quarta-feira (13), com investidores se concentrando no otimismo quanto às negociações comerciais entre Estados Unidos e China, em curso nesta semana, e a despeito do aumento dos estoques da commodity nos EUA a uma máxima em 15 meses.

Em Nova York, o WTI (março) fechou em alta de 1,51%, a US$ 53,90 o barril. Em Londres, o Brent (abril) subiu 1,91%, para US$ 63,61 o barril.

“Até aqui, tudo bem”, disse o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, sobre as conversas em Pequim, um dia depois de o presidente americano, Donald Trump, afirmar que estaria disposto a estender o prazo final de 1º de março, caso os dois países estivessem próximos de um acordo. O relato é da agência “Dow Jones Newswires”.

As notícias sobre a questão comercial ajudaram a compensar o fato de os estoques de petróleo nos EUA terem subido, na semana passada, para uma máxima desde novembro de 2017. Houve alta de 3,6 milhões de barris na semana passada, para 450,8 milhões de barris.

É a quarta semana consecutiva de elevação nos estoques de petróleo nos EUA, conforme dados da Administração de Informação de Energia do país.

O mercado analisa, ainda, os riscos de uma nova paralisação parcial do governo americano, o chamado “shutdown”. O presidente dos EUA afirmou não saber se assinará acordo sobre segurança na fronteira com o México, o que evitaria uma nova paralisação parcial do governo.

“A questão é se o Congresso pode aprovar o acordo e levá-lo ao presidente antes da sexta-feira para evitar outra paralisação do governo”, disse, à agência “Dow Jones Newswires”, Dan Flynn, da Price Futures, em Chicago. “Também esperamos que as conversações entre EUA e China sejam retomadas com ambos os lados trabalhando para se alcançar um acordo de longo prazo.”

A oferta global de petróleo caiu 1,4 milhão de barris por dia, para 99,7 milhões de barris em janeiro, puxada pela queda na oferta da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), informou a Agência Internacional de Energia (AIE) em relatório mensal sobre o mercado de petróleo.

 

Fonte: Valor Online

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Você deve ser logado postar um comentário.