Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3995-4325

Petróleo busca recuperação após pior semana de 2019

Os preços do petróleo encerraram na terça-feira (28) sem direção única, após a sessão de segunda (27) ter liquidez reduzida devido aos feriados do Memorial Day, nos Estados Unidos, e do feriado bancário da primavera, no Reino Unido. Os preços da commodity buscam uma recuperação, após os contratos mais líquidos para o Brent terem recuado 4,78% e os do WTI terem cedido 6,58% na última semana – a pior em 2019 para os preços do petróleo.

Os contratos futuros para julho do Brent encerraram o dia estáveis, a US$ 70,11 por barril, na ICE, em Londres, enquanto os contratos do WTI para o mesmo mês terminaram a sessão em alta de 0,87%, a US$ 59,14 por barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex).

“A escalada da guerra comercial ajudou a pressionar para baixo os preços do petróleo, mas tensões com o Irã e os ataques a petroleiros no Golfo Pérsico estão mantendo o petróleo forte”, disse Phil Flynn, do Price Futures, em Chicago, à Dow Jones Newswires.

Segundo ele, os estoques de petróleo nos EUA podem acabar servindo como fator de desempate no equilíbrio entre compradores e vendedores da commodity. Ainda que os estoques americanos tenham atingido 477 milhões de barris no levantamento da semana passada, maior número em 22 meses, o fim de semana do Memorial Day normalmente desencadeia a temporada de alta demanda por transporte e deslocamentos. Com isso, os estoques devem começar a ceder nesta semana, provocando aumento de preços, aponta Flynn.

Do lado da demanda, investidores seguem monitorando a continuidade das tensões comerciais entre EUA e China, que pode impactar o consumo de petróleo global, e a desaceleração do crescimento nas principais economias do mundo.

Neste mês, o contrato de vencimento mais próximo do WTI acumula perda de 7% e, do Brent, de 2,2%. A pressão de baixa tende a persistir, diz Mike McGlone, da Bloomberg Intelligence. “Na ausência de uma significativa quebra de fornecimento no Oriente Médio, não há o que possa evitar que o barril do WTI se movimente em direção a US$ 50”, disse o analista.

 

Fonte: Valor Online

Related Posts