Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3995-4325

Vendas de etanol no mercado doméstico batem novo recorde

As vendas de etanol hidratado (usado diretamente nos tanques dos veículos) realizadas pelas distribuidoras aos postos de combustíveis alcançaram em maio o maior volume da história para o mês. De acordo com informações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), foram 1,87 bilhão de litros, um aumento de 42% na comparação com maio de 2018, quando demanda interna já estava aquecida.

Nos primeiros cinco meses de 2019, foram comercializados 9,03 bilhões de litros de etanol hidratado, 36,9% mais que no mesmo período do ano passado, de acordo com os dados da ANP.

Nesse ritmo, as vendas do biocombustível, que compete com a gasolina, poderão chegar a cerca de 26 bilhões de litros até o fim do ano. E, se o consumo de gasolina C (vendida nos postos, com 27,5% de etanol anidro misturado) também seguir a tendência observada até maio passado, as vendas totais de etanol poderão se aproximar do patamar de 36 bilhões de litros.

O crescimento do consumo de etanol hidratado continua ocorrendo sobre o mercado da gasolina. Em maio, os preços do combustível fóssil mudaram pouco de patamar nos postos localizados nos principais centros consumidores do país, enquanto o etanol vem registrando forte queda com o avanço da moagem de cana no Centro-Sul do país e a preferência das usinas em produzir o biocombustível em detrimento do açúcar.

Mesmo na última entressafra da região, os preços do hidratado se mantiveram abaixo de 70% do valor da gasolina nos postos de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. O etanol perde vantagem econômica para a média da frota flex brasileira quando a relação está acima de 70%. No Paraná, a correlação caiu abaixo de 70% na segunda semana de maio.

Abrigando cerca de metade do consumo nacional, São Paulo registrou vendas de 977,5 milhões de litros de etanol hidratado em maio, 38% mais que no mesmo mês de 2018. As vendas no Estado já acumularam 4,69 bilhões de litros no ano, um aumento de 33%.

Em maio, o preço do etanol ficou em média 65% da gasolina nos postos paulistas. E, em junho, o litro do biocombustível encerrou o mês valendo 62% do valor da gasolina, de acordo com o último levantamento semanal de preços da ANP.

Segundo principal mercado de combustíveis do país, Minas teve vendas de 258,3 milhões de litros de etanol hidratado em maio, avanço de 68%. No ano, o crescimento foi de 58,4%, para 1,2 bilhão de litros.

A comercialização de etanol tem apresentado crescimento vertiginoso também em Mato Grosso, onde a demanda tem sido abastecida cada vez mais pelas usinas de etanol à base de milho. No mês de maio, as vendas de etanol hidratado cresceram 40% na comparação anual, para 81,6 milhões de litros.

As vendas de maio foram as maiores da história de Mato Grosso, superando o último recorde, alcançado em outubro de 2018 (81 milhões de litros). Neste ano, já são 390,4 milhões de litros de hidratado vendidos aos postos mato-grossenses, um aumento de 23,5%.

No mercado mato-grossense, o etanol está mais competitivo que a gasolina há mais de um ano. A última vez em que seu preço superou 70% do valor da gasolina nos postos foi na segunda semana de abril de 2018. Em maio, o percentual ficou em 58%.

No Paraná, as vendas cresceram 36% em maio, para 146,6 milhões de litros. O biocombustível só ficou economicamente mais vantajoso do que a gasolina nos postos paranaenses na segunda metade de maio. Em média, o preço do bicombustível em maio ficou em 70% do valor do fóssil no Estado.

 

Fonte: Valor Econômico

Related Posts