Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3970-1001/3970-1008

Petróleo fecha em leve alta, antes de dados de estoques nos EUA

Os preços do petróleo encerraram a sessão de terça-feira (20) próximos da estabilidade, em leve alta, antes da divulgação de dados de estoques da commodity nos Estados Unidos. Segundo especialistas, a direção dos preços do petróleo deve ser definida no curto prazo pela divulgação dos dados semanais da economia americana.

Os contratos futuros do Brent para outubro fecharam o dia em valorização de 0,48%, aos US$ 60,03 o barril, na ICE, em Londres, enquanto os preços do West Texas Intermediate (WTI) para setembro terminaram o dia em alta de 0,23%, negociados a US$ 56,34 na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex).

“A trajetória de negociação do petróleo nas próximas 48 horas deve ser fortemente influenciada pelos dados de estoques dos Estados Unidos mais uma vez, especialmente dado o crescimento nos estoques brutos nas últimas semanas”, disse Robbie Fraser, analista sênior de commodities da Schneider Electric. O governo dos EUA relatou aumentos na oferta de petróleo nas duas últimas semanas.

“Estimativas de consenso do mercado apontam um pequeno aumento nos números do American Petroleum Institute, que devem sair hoje, que serão seguidos pelo relatório mais definitivo do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) de amanhã”, disse Fraser.

“No entanto, como o spread do WTI para o Brent está diminuindo, as exportações dos EUA podem ser desafiadas, deixando um volume maior de oferta a ser absorvida pelo setor de refino dos EUA, que já está se aproximando do fim da alta temporada de demanda”, afirmou.

Os preços do petróleo subiram na semana passada, com expectativas de que os bancos centrais em todo o mundo combatam os sinais de recessão com maiores estímulos monetários, o que poderia estimular a demanda por petróleo e outros ativos de energia.

“É provável que as previsões globais de demanda de petróleo sejam revisões positivas, à medida que os bancos centrais e os governos se tornam mais agressivos nas ofertas de estímulos”, escreveu Edward Moya, analista sênior de mercado da Oanda, em uma nota de pesquisa diária.

“Com as expectativas para os dados de inventário desta semana apontando para uma variação pequena, o petróleo deve permanecer focado em tensões geopolíticas no Oriente Médio e atualizações sobre o plano de estímulo da Alemanha e de outras pistas do Fed”, escreveu o analista.

 

Fonte: Valor Online

Notícias relacionadas