Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3995-4325

Petrobras diz que decidirá ‘oportunamente’ sobre próximos reajustes

A Petrobras informou na sexta-feira que continuará monitorando o mercado internacional de combustíveis após os últimos eventos ocorridos no Oriente Médio e que “não há periodicidade pré-definida para a aplicação de reajustes”.

Os Estados Unidos confirmaram hoje que mataram Qassem Soleimani, chefe da Força Quds da Guarda Revolucionária Islâmica do Irã, em um ataque aéreo em Bagdá, no Iraque.

A escalada das tensões geopolíticas no Oriente Médio impulsionou o preço do petróleo.

O contrato do Brent para março encerrou o dia em alta de 3,54%, para US$ 68,60, enquanto o do WTI para abril subiu 3,05%, para US$ 63,05.

“A empresa seguirá acompanhando o mercado e decidirá oportunamente sobre os próximos ajustes nos preços”, diz o comunicado da Petrobras.

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro admitiu que o evento pode afetar os preços no Brasil e se mostrou preocupado com uma eventual elevação. Segundo ele, a linha é de não interferir na política da estatal, mas que providências poderiam ser tomadas em busca de soluções.

Uma das alternativas apontadas pelo presidente é a de negociar com os governadores uma redução do ICMS no combustível, caso os preços tenham uma alta expressiva.

“Com toda certeza, eu converso com o almirante Bento, com o presidente da Petrobras e com o Paulo Guedes e nós temos uma linha de não interferir, mas acompanhar e buscar soluções”, afirmou o presidente em Brasília.

Apesar disso, a expectativa do governo é que eventuais altas se dissipem ao longo dos próximos dias, sem provocar efeitos mais duradouros no custo do combustível no Brasil.

Fonte: Valor Online

Related Posts