Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3995-4325

Vendas de etanol pelas usinas do Centro-Sul caem 8,2% na 1ª quinzena do mês (Preços sobem 5,6% no acumulado do ano

As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região centro-sul alcançaram 1,21 bilhão de litros na primeira metade de fevereiro, recuo de 8,2% sobre a mesma quinzena de 2019, informou nesta sexta-feira a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), em momento em que a entressafra colabora para valores do biocombustível mais elevados.

Usina de processamento de cana em Valparaíso (SP) 18/09/2014 REUTERS/Paulo Whitaker

As vendas de etanol hidratado, concorrente da gasolina nos postos, diminuíram 13,69%, totalizando 802,21 milhões de litros, segundo a Unica.

Já a quantidade comercializada de etanol anidro (produto misturado à gasolina no Brasil) atingiu 393,82 milhões de litros, alta de 12,84% sobre a mesma quinzena de 2019.

Praticamente todo o volume de etanol comercializado pelas usinas destinou-se ao abastecimento interno e apenas 21,30 milhões de litros à exportação, segundo a Unica.

Os preços do etanol hidratado nas usinas de São Paulo, maior produtor do Brasil, subiram 5,6% no acumulado do ano, para 2,1289 reais por litro (sem impostos e frete), de acordo com dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), considerando a média semanal da última semana.

Os patamares são recorde nominais, mas não são máximas históricas considerando a inflação, segundo a analista de etanol do Cepea Ivelise Bragato.

Ela notou que neste momento de entressafra, em um mês mais curto como o de fevereiro, as vendas diárias pelas usinas acabam ficando menores, colaborando para os preços ficarem firmes.

A especialista destacou também que a demanda na safra tem estado bastante aquecida, embora note alguns momentos em que a paridade com a gasolina desfavorece o etanol na bomba.

Enquanto nas usinas de São Paulo o preço subiu mais de 5%, nos postos, na média Brasil, o etanol subiu pouco mais de 2% no acumulado do ano até a última semana, segundo pesquisa da reguladora ANP.

Essa alta do etanol nos postos compara-se a uma queda de 0,5% na gasolina na bomba, confirmando a maior competitividade do combustível fóssil em 2020.

 “Tem outro motivo que tem dado sustentação ao mercado, o posicionamento firme dos vendedores… Embora tenha aumentado a produção, o consumo também aumentou, talvez tenha sido proporcionalmente até maior”, comentou Ivelise, do Cepea/USP.

Ele lembrou que a maior produção de etanol de milho tem ajudado na oferta, mas observou que os estoques estão sofrendo após vendas recordes no último ano.

A produção de etanol segue crescente no início de fevereiro, graças à expansão do volume fabricado a partir do milho, destacou a Unica.

Na primeira metade do mês, dos 98,83 milhões de litros produzidos pelas unidades da região Centro-Sul, 93,42 milhões de litros referem-se ao etanol de milho.

Em igual período de 2019, enquanto a fabricação totalizou 61,31 milhões de litros, a produção derivada do milho atingiu 37,76 milhões de litros.

Em nota, o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, afirmou que “os valores divulgados para a produção de etanol incorporam também o reprocesso”.

Na primeira de quinzena de fevereiro, houve a conversão de 37 milhões de litros de etanol anidro em hidratado, enquanto 14 milhões de litros passaram pelo processo inverso (etanol hidratado transformado em etanol anidro).

“Além da produção, reprocesso e estoque, estatísticas preliminares de acompanhamento dos desembarques indicam ainda a importação de 200 milhões de litros em fevereiro, complementando a oferta do biocombustível durante essa entressafra que está em equilíbrio com o nível de demanda atual”, afirmou Rodrigues.

 

Fonte: Reuters

Related Posts