Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3995-4325

Copergás e Golar levarão GN para Agreste Meridional e Sertão

Consolidado como polo logístico regional, Pernambuco, por meio da Copergás, deu um importante passo ao estabelecer um novo hub de abastecimento de gás natural no Nordeste. E a conquista desse diferencial para a atração de novos investimentos privados foi selada na sexta-feira (13), com a assinatura de um protocolo de intenções entre o Governo do Estado e a Golar Power Brasil, empresa do Grupo Golar – uma das maiores empresas de logística de Gás Natural Liquefeito (GNL) no mundo, para a implantação de um terminal no Complexo Industrial Portuário de Suape. O aporte privado será de R$ 1,8 bilhão, com perspectiva de geração de 300 empregos diretos e indiretos.

A Companhia atuará em parceria com a Golar para interiorizar o gás natural em regiões do Estado que ainda não são atendidas pelas redes tradicionais. Com início das operações previsto para o segundo semestre deste ano, o Projeto Rede Local prevê uma infraestrutura de suprimento do combustível natural para geração de energia elétrica, além de atender demandas das indústrias, comércio, postos de GNV/GNL e residências.

Petrolina, no Sertão do São Francisco, e Garanhuns, no Agreste Meridional, serão as primeiras cidades a serem atendidas pela rede local. A Copergás construirá a estação de distribuição e as redes que vão fornecer o combustível dentro dos dois municípios. O total do investimento nesses projetos é de R$ 15,9 milhões, sendo R$ 3,2 milhões em 2020 e o restante em 2021.

“Esse acordo com a Golar vai implementar aquela que é a prioridade do Governo Paulo Câmara e da Copergás: interiorizar a distribuição do gás natural, aumentando nossa competitividade e ajudando na atração de novos empreendimentos para o Estado. Além de mais econômico e seguro, o GN é mais sustentável que outros combustíveis. Essas vantagens estarão disponíveis para um número maior de pernambucanas e pernambucanos”, afirma o diretor-presidente da Copergás, André Campos.

O Projeto Petrolina será dividido em duas fases. A Fase 1 atenderá o Distrito Industrial de Petrolina, incluindo a construção de uma estação de regaseificação do GNL (transformação do gás natural líquido para a forma gasosa), uma estação de medição, redução de pressão e odorização do gás e da construção de 6,80 Km de redes de distribuição de gás natural através de tubos de Polietileno de Alta Densidade (PEAD). Serão atendidos os clientes Industriais e Postos de GNV, sendo os investimentos estimados em R$ 3,2 milhões. A previsão é distribuir o gás até o final deste ano.

A Fase 2, por sua vez, levará a rede de distribuição de gás a partir do Distrito Industrial, à Orla de Petrolina, ao centro da cidade e também na direção do aeroporto. Essa expansão visa atingir os segmentos residenciais, comerciais, veicular e indústrias situados fora daquela localidade. A construção compreenderá a instalação de, aproximadamente, 30 quilômetros de redes de distribuição de gás natural através de tubos de Polietileno de Alta Densidade (PEAD), com investimento previsto de R$ 9,3 milhões com um cronograma de execução de 12 meses, projetado para iniciar em fevereiro de 2021.

Em Garanhuns, serão construídos: uma estação de regaseificação do GNL, uma estação de medição, redução de pressão e odorização do gás e a rede de distribuição em tubos de Polietileno de Alta Densidade. Serão atendidos os clientes industriais e postos de GNV. Restaurantes e hotéis estão previstos numa segunda fase. O investimento previsto é de R$ 3,4 milhões com um cronograma de execução de seis meses, a partir do próximo semestre.

Fonte: Copergás / Comunicação

Notícias relacionadas