Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

Ultragaz se prepara para mercado aberto de gás

Maior distribuidora brasileira de GLP, a Ultragaz ampliou os investimentos em infraestrutura, em preparação à abertura do refino no país que terá impacto também no suprimento do gás de cozinha. Dos R$ 349 milhões em aportes previstos pelo grupo Ultra na empresa em 2021, R$ 216 milhões serão destinados a expansão – o investimento total é o maior pelo menos desde 2015.

Entre este ano e o próximo, a Ultragaz destinará R$ 90 milhões para construção de duas novas bases de engarrafamento, em Miramar, no Pará, e Mucuripe, no Ceará. A abertura do refino no país a partir da venda de ativos da Petrobras, de acordo com o presidente da empresa, Tabajara Bertelli, é positiva, vai multiplicar o número de fornecedores e dar nova dinâmica à concorrência.

“O objetivo é estar preparado para esse mercado mais aberto. Isso deve levar a uma transformação no setor”.

O grupo ao qual pertence a distribuidora de GLP está na disputa por refinarias. Neste momento, estão no radar do Ultra a Repar (Refinaria Presidente Getúlio Vargas) e a Refap (Refinaria Alberto Pasqualini), em uma operação que levaria a sinergias importantes com a Ultragaz e outros dois negócios do conglomerado, a distribuidora de combustíveis Ipiranga e a Ultracargo, de armazenagem de granéis líquidos.

Em outra frente, a Ultragaz definiu uma nova estratégia de longo prazo, na qual o cliente tem papel central, para manter-se na liderança de mercado.

“Queremos atuar em energia, não só no mercado de commodity. Isso significa oferecer soluções de energia”, diz Bertelli.

Hoje, a empresa tem 56 mil clientes no segmento empresarial. No mercado residencial, trabalha com 5 mil revendedores no mercado residencial e vende 10 milhões de botijões de gás de cozinha por mês. A recuperação das vendas no segmento empresarial (granel), mais afetado pela pandemia de covid-19, e margens superiores ajudaram a Ultragaz a registrar resultado operacional (Ebitda) recorde de R$ 222 milhões no terceiro trimestre, alta de 18% na comparação anual – em todo o ano passado, o Ebitda totalizou R$ 536 milhões e a receita líquida, R$ 7,1 bilhões.

Para esses clientes, a estratégia é avaliar o tipo de solução de energia mais adequada a cada operação. Em parceria com o Instituto Matogrossense do Algodão e agricultores locais, por exemplo, lançou em 2019 uma tecnologia que substitui a lenha e o diesel pelo GLP como combustíveis e possibilita o controle da umidade no beneficiamento do algodão, resultando em produto de maior valor agregado. Para uma cervejaria cliente, desenvolveu uma tecnologia exclusiva que mapeia e integra os principais parâmetros de cada receita à produção – cada tipo de cerveja exige uma forma de queima -, aumentando a eficiência energética no processo produtivo.

Embora a inovação não seja uma novidade no histórico da Ultragaz, processos internos foram revistos nos últimos dois anos e o trabalho de desenvolvimento de soluções, que antes estava restrito a uma sala específica, a “Blue Room”, hoje ocupa praticamente metade da empresa. Quase 30% dos novos clientes no segmento empresarial vêm da área de novos produtos.

No segmento residencial, as atenções estão voltadas à digitalização, a melhorar a experiência de compra e a reduzir o tempo de espera. Durante a pandemia, a empresa lançou um aplicativo para compra e entrega de gás de cozinha que permite inclusive agendamento e está testando parcerias com outros aplicativos, como o iFood, por meio do qual o consumidor também teria acesso à Ultragaz. “Queremos que seja fácil contatar a empresa. O consumidor hoje é mais digital e quer mais agilidade”, afirmou.

Para esse consumidor, a empresa está testando o “Ultradrive”, uma “vending machine” de gás de cozinha. O pagamento é realizado via cartão de crédito ou débito, vale gás ou Picpay, e a máquina está à disposição 24 horas por dia, sete dias por semana. A máquina está em testes em Pato Branco, no Paraná.

Conforme Bertelli, a ambição da empresa é olhar de forma mais ampla para o mercado de energia, indo além do GLP. Não há planos concretos nessa direção, ao menos neste momento, e a percepção é que ainda há espaço para conquistar no gás de cozinha. “Mas queremos estar preparados”, comentou.

O executivo assumiu o comando da Ultragaz em janeiro do ano passado, em meio a um movimento mais amplo de renovação de lideranças no grupo Ultra. Formado em Engenharia de Produção pela Universidade de São Paulo (USP), Bertelli tem mestrado em administração de empresas pela USP e especialização em finanças pela FGV.

Ele iniciou a carreira na Ultrapar em 1995, na área financeira, e em 2000 foi para a Ultragaz, onde passou pelas áreas comerciais. Em 2015, assumiu a diretoria de Mercado Empresarial da Ipiranga e retornou à distribuidora de GLP dois anos depois.

 

Fonte: Valor Econômico

Related Posts