Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

Combustíveis: Minas incentiva o uso do GNV

O governador Romeu Zema (Novo) sancionou a Lei 23.762/21 que dá isenção do IPVA, no ano da compra, para os carros movidos a gás natural e fabricados em território mineiro.

Com a nova legislação, conforme destaca o presidente da Gasmig, Pedro Magalhães, as expectativas são de que haja um aumento percentual de veículos movidos a gás no Estado.

De acordo com ele, existe um potencial de aumentar a frota desse tipo de carro em pelo menos 10 mil veículos em 2021. “A isenção do IPVA já é um incentivo bom”, diz ele. “A pessoa pode ter uma economia entre R$ 3 mil a R$ 5 mil, além da economia do dia a dia”, salienta.

Segundo os dados da Gasmig, com R$ 50 um veículo movido à gás natural veicular (GNV) roda 206 quilômetros. Enquanto isso, aqueles movidos a etanol rodam 129 quilômetros e à gasolina, 119 quilômetros.

Além disso, lembra o presidente da Gasmig, existem também todos os ganhos para o meio ambiente quando há mais carros movidos à gás natural, uma vez que há uma menor emissão de poluentes.

Cenário

O mercado de gás natural em Minas Gerais, segundo Magalhães, vinha mostrando bons números ao longo do tempo. A exceção ficou por conta de 2020 devido à pandemia da Covid-19. Nos outros anos, entretanto, de acordo com o presidente da Gasmig, o segmento vinha crescendo cerca de 20% anualmente.

Nesse cenário, afirma Magalhães, existe também toda uma questão cultural. Em locais como no Rio de Janeiro, por exemplo, já existe um grande número de veículos movidos a gás, por ser algo enraizado há um período maior de tempo. Em Minas Gerais, essa cultura ainda está caminhando.

Ainda segundo a Gasmig, além da questão econômica e ambiental, o GNV também oferece mais praticidade, por conta do fornecimento contínuo, e confiança, uma vez que o GNV não pode ser furtado ou adulterado.

Além disso, também há mais segurança, de acordo com a Gasmig, pois a conversão é homologada pelo Inmetro e versatilidade, dada a possibilidade de transferir o kit GNV para um novo veículo.

Fonte: Diário do Comércio (MG)

Related Posts