Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

Gás natural dispara 30% na Europa, com menor abastecimento da Rússia e problemas com carvão na Indonésia

Os preços do gás natural voltaram a apresentar forte alta nessa terça-feira (4) na Europa, diante do menor abastecimento vindo da Rússia, com as cotações disparando 30% durante o pregão. O gás que seria direcionado para a Alemanha – e de lá enviado para os demais países europeus – está sendo reenviado para a Polônia há 15 dias seguidos.

O abastecimento limitado é agravado por previsões de temperaturas mais baixas nas próximas semanas no momento em que um abastecimento alternativo de gás, por meio de importações da Ásia, também se torna inviável. O inverno mais quente que o normal havia criado excedente de gás natural liquefeito (GNL) em alguns países asiáticos que estavam exportando esse produto para a Europa. Porém, os preços do GNL da Ásia subiram e se encontram acima dos preços europeus, inviabilizando o envio.

No fechamento, o preço do gás TTF – referência na Europa – negociado na Holanda para fevereiro subia 12,8% a 90,72 euros por megawatt-hora. Em Londres, na Ice Futures, fevereiro subiu 6,16% a 2,165 libras por 100 mil unidades térmicas britânicas.

Nos Estados Unidos, os preços praticados na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex) recuam depois de passar a maior parte do pregão em alta. O contrato de fevereiro cai 1,18% a US$ 3,77 por milhão de unidades térmicas britânicas.

A alta foi provocada por previsões de queda nas temperaturas nos próximos dias e por queda na produção nos Estados Unidos devido à queda nas temperaturas nas regiões produtoras da Bacia Permiana, disse o analista da EBW Analytics, Eli Rubin.

 

Fonte: Valor Online

Related Posts