Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3995-4325

Petróleo encerra sessão em leve alta e fecha semana com ganhos

Os contratos do petróleo encerraram a sessão de sexta-feira (16) em alta e acumularam ganhos modestos na semana. A commodity registrou forte avanço na terça-feira (13), com o anúncio de que Donald Trump iria adiar a última rodada de tarifas sobre produtos chineses. Os temores de uma recessão global, no entanto, fizeram com que a commodity moderasse a valorização semanal.

Os contratos futuros do Brent para outubro encerraram a sessão em alta de 0,70%, negociados a US$ 58,64 o barril, na ICE, em Londres. Os futuros do West Texas Intermediate (WTI) para setembro fecharam o dia em alta de 0,73%, para US$ 54,87 o barril.

A referência global registrou ganhos de 0,18% na semana, enquanto a americana subiu 0,67%.

“A alta de hoje refletiu alguma relutância em voltar para casa ‘vendido’ no fim de semana, dadas as incertezas no Golfo Pérsico”, disse Marshall Steeves, analista de mercados de energia da IHS Markit. “No geral, o mercado está limitado a essas incertezas de oferta, compensadas pelo enfraquecimento da demanda. Portanto, embora tenha havido um aumento hoje e durante a semana, permanece uma tendência de baixa no longo prazo”, apontou.

A Baker Hughes disse, hoje, que o número de plataformas ativas de petróleo nos EUA subiu 6, a 770 esta semana. Foi a primeira alta das últimas seis semanas. A contagem ativa total da sondas norte-americanas, por sua vez, também subiu em um total de 1, para 935, de acordo com a empresa.

Mais cedo, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) reduziu ligeiramente suas perspectivas para o crescimento da demanda global de petróleo neste ano em seu relatório mensal. A Opep disse que espera que a demanda por petróleo cresça 1,1 milhão de barris por dia em 2019, uma queda de 40 mil barris por dia em relação à previsão de julho. A organização deixou sua previsão de demanda de 2020 inalterada em 1,14 milhão de barris por dia.

A Opep também cortou sua previsão de crescimento de oferta não-OPEP para 1,97 milhão de barris por dia este ano, uma queda

 

Fonte: Valor Online

Related Posts