Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

Produção da indústria catarinense cresce 12% nos acumulado dos últimos 12 meses

Segundo os resultados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) do IBGE, a produção industrial catarinense cresceu 12% no acumulado dos últimos 12 meses, segunda maior alta do país. Influenciadas pela recuperação da atividade econômica, principalmente do setor industrial, as importações catarinenses no mês de junho cresceram 132,6% em comparação com o mesmo período de 2020, conforme mostra análise do observatório da FIESC (Federação das Indústrias de Santa Catarina). As exportações também cresceram 40% na comparação com o mesmo período.

Por conta desta franca recuperação do setor, o cobre refinado, importante insumo industrial, foi o principal produto importado em Santa Catarina no mês de junho, com crescimento de 80,6% em relação ao mesmo mês em 2020. Dados da Pesquisa Industrial Mensal do IBGE também ajudam a explicar o aumento na importação catarinense, a produção industrial no Estado cresceu 26,7% entre janeiro e maio de 2021, mais que o dobro da média nacional, que foi de 13,1%. Além do cobre, fertilizantes nitrogenados e polímeros de etileno tiveram crescimento significativo.

Quanto às exportações, elas tiveram crescimento de 15,6% no primeiro semestre do ano no Estado, quando comparado ao mesmo período do ano passado, alcançando o montante de US$ 4,643 milhões.

Crescimento no Consumo de gás natural

A recuperação do setor industrial após a pandemia também reflete no consumo de gás natural em Santa Catarina, que registra sucessivos recordes desde o início do ano. A maior alta na produção segundo a PIM foi da indústria de metalurgia, com 177,8% de crescimento, entre elas, há 116 utilizando Gás Natural.

“O setor industrial é o principal consumidor de gás no Estado. Atualmente, 324 indústrias catarinenses utilizam o insumo em seus processos produtivos. Este crescimento no consumo em 2021 mostra que as indústrias catarinenses estão em ampla recuperação, após a crise causada pela pandemia”, afirma o Presidente da SCGÁS, Willian Anderson Lehmkuhl.  As indústrias que consomem gás natural representam 50% de todo o PIB industrial catarinense, o que equivale a 13,5% do PIB total. Segundo pesquisa de auditoria da SCGÁS, realizada no segundo semestre de 2020, 39% exportam seus produtos concorrendo também no mercado internacional.

Em junho, pela primeira vez na história, o segmento industrial consumiu mais de 1,9 milhão de m³ por dia do insumo, crescimento de 0,38% em relação ao mês anterior. E, em relação a 2018 e 2019, o crescimento foi de 22,12% e 20,21%, respectivamente, segundo dados da SCGÁS.

Importante segmento de consumo do gás natural, respondendo por quase 50% do volume distribuído, o ramo cerâmico é o principal responsável pelas sucessivas altas registradas desde o segundo semestre de 2020. O reaquecimento da construção civil e o aumento no volume de reformas e adequações dos imóveis, associados ao câmbio alto que amplia a competividade com o mercado externo, puxam o forte crescimento.

 

Fonte: SCGÁS / Comunicação

Related Posts