Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

Orizon negocia injeção de biometano na rede da Comgás em São Paulo

A Orizon Valorização de Resíduos está negociando com a Comgás o fornecimento de biometano para injeção na malha da distribuidora e suprimento da demanda do polo industrial de Paulínia, no interior de São Paulo.

“Em Paulínia, estamos avançando com a Comgás para construção do gasoduto que deve ficar pronto até agosto do ano que vem, para que a gente consiga distribuir essa molécula renovável a partir do gasoduto”, afirmou o diretor de engenharia e implantação da Orizon, Jorge Elias, em entrevista à epbr.

O investimento envolve a construção pela Comgás de uma extensão do ramal de distribuição até o aterro sanitário da Orizon.

“São tecnologias um pouco mais caras, mas dependendo do ponto de injeção, o ideal é isso que a gente está buscando, é conseguir a malha do gasoduto”, diz Elias.

Alternativas para comercialização

Além da comercialização por gasodutos, também estão sendo estudadas alternativas como GNL (liquefação) ou GNC (gás comprimido).

“Se temos um ecoparque que está muito próximo à malha de distribuição de uma determinada empresa distribuidora de gás, a minha preferência é por conseguir entrar no mercado como fornecedor livre de molécula e fazer o fornecimento para uma indústria conectada no gasoduto”, disse Elias.

Segundo o diretor, as indústrias de alimento e química são as maiores demandantes de biogás, além de algumas empresas do setor de transportes.

“Está tendo uma demanda enorme pela molécula renovável. Tem muito pouca no mercado, são poucas plantas de biometano já instaladas e a intenção de consumo é enorme (…)

Todas as empresas estão preocupadas com a pegada de carbono delas e buscando alcançar suas metas de neutralidade”.

Fonte: Epbr

Related Posts