Av. Alm. Barroso, 52 - sl 2002 - Centro- RJ
+55 21 3970-1001/3970-1008

Petróleo WTI fecha em baixa no 1º dia das sanções dos EUA contra o Irã

Os preços do petróleo perderam fôlego perto do fechamento e encerraram em tom misto a sessão de segunda-feira (5). Os contratos já vinham mostrando volatilidade ao longo do dia, por conta do início das sanções americanas contra o Irã, cujo anúncio, meses atrás, já tem provado redução das exportações do país islâmico e, por tabela, gerando a percepção de redução da oferta global.

Em Nova York, o WTI (dezembro) caiu 0,06%, a US$ 63,10 o barril. Em Londres, o Brent (janeiro) subiu 0,47%, a US$ 73,17 o barril.

Junto com o início oficial das sanções, os EUA anunciaram uma lista de países que podem continuar comprando petróleo do Irã. China, Índia, Itália, Grécia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan e Turquia receberam isenções de penalidades. A isenção, porém, é “temporária”, segundo disse na manhã desta segunda Mike Pompeo, secretário de Estado americano. Alemanha, França e Reino Unido, que defenderam a preservação do acordo nuclear com o Irã depois da saída dos EUA, não receberam isenções.

Em setembro, o Irã exportou 1,5 milhão barris de petróleo por dia, ante 2,3 milhões em junho, segundo fontes a par do tema.

Até o momento, porém, os “cenários mais extremos para o aperto da oferta do petróleo iraniano… têm sido desconsiderados mesmo com as sanções formalmente entrando em vigor”, dizem analistas da consultoria JBC Energy.

Opep

Alguns membros da Opep e aliados têm afirmado que suprirão qualquer falta de petróleo que venha a ocorrer pela queda das exportações do Irã.

Para o Commerzbank, isso explica o “sell-off” nos preços do óleo nas últimas semanas. “Uma razão importante é que tanto a Opep, quanto a Rússia e os EUA aceleraram a produção consideravelmente.”

Na sexta-feira (2), o WTI fechou no menor patamar desde abril, enquanto o Brent terminou na mínima desde agosto.

Desde o começo de outubro, os preços caíram cerca de 15%.

O aumento dos temores de enfraquecimento da economia global também tem pesado sobre os preços do petróleo. Porém, Tamas Varga, analista da PVM Oil Associates Ltd., prevê que uma queda adicional das exportações do Irã, para cerca de 1 milhão de barris por dia, pode levar a um “aperto” da oferta global de petróleo pelo restante do ano, apesar da produção da Arábia Saudita estar próxima de 11 milhões de barris por dia.

O mercado aguarda para esta terça (6) dados de estoques de petróleo nos EUA a serem divulgados pelo American Petroleum Institute. No dia domingo (11), está prevista uma reunião em Abu Dhabi entre Opep e aliados, entre os quais a Rússia, para discutir o acordo de quase dois anos que prevê limites à produção da commodity.

 

Fonte: Valor Online

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

Você deve ser logado postar um comentário.