Av. Ataulfo de Paiva, 245 - 6º andar - Salas 601 a 605 – Leblon/RJ – CEP: 22440-032
+55 21 3995-4325

Ao visitar a Estre Ambiental, Sergas analisa a possibilidade de aproveitar o biogás

Pensando na expansão dos negócios e na tentativa de ampliação de novos horizontes no segmento do gás natural, parte da diretoria executiva da Sergas, através do seu diretor presidente, Valmor Barbosa, e do diretor técnico e comercial, Ivonez Lourenço, estiveram no último dia 29, visitando a estrutura operacional da empresa Estre Ambiental S.A., localizada às margens da BR 101, no município de Rosário do Catete – SE.

A visita se deu para conhecer a estrutura física e potencial operacional da Estre Ambiental no estado de Sergipe, uma vez que a empresa é uma grande gerenciadora de resíduos sólidos. Na oportunidade, levantou-se a possibilidade de estudos para aproveitamento do Biometano, que se concentra na área do aterro sanitário.

Para o presidente da Sergas, Valmor Barbosa, “esse estreitamento de relação, o conhecimento da estrutura física e a capacidade operacional da empresa Estre Ambiental é muito importante, no sentido de que possamos nos aproximar, conhecer melhor as funcionalidades operacionais do aterro, dimensão da sua área de abrangência, volume de resíduo e demais informações e especificações técnicas”, explicou.

De acordo com Valmor, a intenção é que a Sergas, em conjunto com a Estre Ambiental, possam desenvolver estudos do potencial e da viabilidade da compra e utilização do Biometano, produzido a partir dos resíduos gerenciados pela empresa. “Analisar todas as condicionantes que o mercado impõe e encontrar uma forma de aproveitamento dessa energia para fins industriais, que, por hora, está sendo queimada”, justificou.

O gerente operacional na sede da Estre Ambiental em Rosário do Catete, o engenheiro Moacyr Bacelar, pontuou que a Estre Ambiental é uma das maiores empresas de serviços ambientais do Brasil, tendo a sua matriz no estado de São Paulo. A empresa cuida dos resíduos sólidos urbanos resultantes dos produtos que a sociedade, de forma geral, consome, além dos resíduos perigosos de indústrias, usinas, petrolíferas, dando o destino mais seguro ao lixo. “A Estre Ambiental  chegou em Sergipe em 2013. Hoje, atuamos com a unidade de transbordo, em Nossa Senhora do Socorro, e o aterro no município de Rosário do Catete, contando com mais de 100 funcionários. A empresa recebe os resíduos de mais de 20 municípios sergipanos, sendo líder em gestão de aterros sanitários e solução de resíduos sólidos no país”, informou. O engenheiro ressaltou ainda que a empresa está construindo uma estação de tratamento de chorume, utilizando as melhores tecnologias, para que não ocorra a contaminação do solo e da água, sendo uma referência no segmento.

“A visita da Sergas é muito importante, porque a empresa tem interesse em compartilhar ideias e estudos para tentar buscar novos projetos e beneficiar a coletividade com novas opções de aproveitamento do material extraído dos resíduos. A Sergas é uma grande empresa do segmento do gás natural e são boas as expectativas de podermos gerenciar novos projetos que poderão beneficiar todas as partes, além do estado de Sergipe, o município do Rosário do Catete e a sociedade em geral” finalizou.

Na visão do diretor técnico da Sergas, Ivonez Lourenço, todas as possibilidades de exploração dessa matriz energética devem ser levadas em consideração, com os estudos da viabilidade e do potencial. “A visita à estrutura gigantesca da Estre é o primeiro passo para o estreitamento das relações e disso poderão advir tomadas de decisões futuras. Caso as intenções da realização de estudos sejam afirmativas e sendo comprovada a viabilidade da produção e utilização do Biogás, nós buscaremos todas as possibilidades de atuação junto à Estre Ambiental como parceiros comerciais. Para todo início de parceria, é necessário a aproximação e levantamento de dados potenciais e técnicos. Os números iniciais são consideráveis e se for viável para os dois lados, as tratativas poderão evoluir para uma futura parceria entre as duas empresas”, concluiu.

 

Fonte: Sergas / Comunicação

Related Posts